O atacante Ricardo Oliveira é o sonho de consumo de muitos clubes brasileiros, artilheiro e sempre com uma postura de capitão mantida pela experiência do jogador, o atacante desde que chegou ao Santos vem conseguindo boas atuações e resultados, sendo um dos destaques das últimas duas edições do Campeonato Brasileiro.

Ricardo Oliveira atuando pelo Santos.

Ricardo Oliveira comemorando gol pelo Santos.

Com o fim da temporada de 2016 chegando, o destino de Ricardo Oliveira foi cogitado fora do Santos o que deixou muitos torcedores preocupados, já que o atacante é o principal jogador no ataque santista. Alguns clubes brasileiros demonstraram abertamente um interesse pelo jogador, entre os principais interessados estava o São Paulo, rival santista que vem sofrendo com a falta de um artilheiro dentro do seu elenco desde a saída de Jonathan Calleri e que poderia oferecer uma troca de Michel Bastos, que iria para o Santos, por Ricardo Oliveira, que iria para o São Paulo. Para ajudar, alguns veículos da imprensa brasileira começaram a especular o futuro do camisa 9 santista, falando sobre uma possível ida do jogador para o São Paulo.

Para acabar com as especulações e trazer certo alívio para a torcida santista, o Santos divulgou na última quarta-feira (07) uma nota oficial onde garante a permanência de Ricardo Oliveira para a próxima temporada, quando a equipe disputará, entre outras competições, a Copa Libertadores. “Tendo em vista as constantes especulações sobre uma possível negociação do atleta Ricardo Oliveira, o Santos mais uma vez vem a público esclarecer que o referido jogador faz parte do projeto para 2017, o que inclui a disputa de competições nacionais e internacionais. Dessa forma, o clube reitera a disposição de mantê-lo no elenco, tendo em vista sua importância para equipe, como capitão e artilheiro do time”. Na sequência da nota, o Santos ainda afirmou que não chegou nem a cogitar uma negociação envolvendo o atacante de 36 anos. “Em nenhum momento o clube cogitou qualquer possibilidade de saída do atacante, que tem a admiração e respeito de todo o elenco, comissão técnica e diretoria”. Vale lembrar que Ricardo Oliveira tem contrato com o Santos até o fim de 2017, o qual ainda poderá ser renovado dependendo dos resultados do jogador no próximo ano.

Ricardo Oliveira, homem gol

Ricardo Oliveira pelo Betis, com a taça da Copa do Rei 2004/05.

Ricardo Oliveira pelo Betis, com a taça da Copa do Rei 2004/05.

Atualmente com 36 anos, o atacante Ricardo Oliveira ainda tem muita lenha para queimar, o jogador que é ambidestro tem marcado muitos gols nesta temporada pelo Santos FC, dividindo a artilharia do time paulista no Campeonato Brasileiro da Série A com o meia Vitor Bueno e o atacante colombiano Copete, cada um com 10 gols marcados. O Santos FC vive um bom momento no Campeonato Brasileiro da Série A de 2016, estando em terceiro colocado com a chance de chegar a vice-liderança nesta última rodada da competição, Ricardo Oliveira foi um dos responsáveis por essa boa campanha que vai classificar o Santos FC para a Copa Libertadores do ano de 2017.

O Pastor Oliveira, como é conhecido, por ser pregador evangélico nas horas vagas, Ricardo Oliveira iniciou sua jornada no mundo do futebol nas categorias de base do Corinthians em 1997 com 17 anos, ficou até 1999 e foi para a Portuguesa Paulista, clube que o revelou profissionalmente em 2000, estreando com 20 anos, um pouco tarde para os parâmetros do futebol. Em 2003 teve sua primeira passagem pelo Santos FC, com 20 gols em 31 jogos, sendo artilheiro da Copa Libertadores da América 2003 com 9 gols, o que o credenciou a ir para a Espanha atuar pelo Valencia na temporada 2003/04, sendo campeão do Campeonato Espanhol (2003/04) e da Copa da UEFA(2003/04)  e de 2004 a 2006 jogou pelo também clube espanhol Betis, onde fez 33 gols em 60 jogos ajudando o clube a conquistar a Copa do Rei (2004/05). Veio emprestado para jogar no São Paulo em 2006, com 7 gols em 12 jogos, ajudou o clube a ser campeão brasileiro (2006).

Em 2006 mesmo, foi negociado com o Milan da Itália, porém, atuando em 37 jogos na temporada 2006/07, conquistou a Liga dos Campeões (2006/07), porém não conseguiu mostrar todo seu potencial, marcando somente 5 gols, muitos dizem que seu desempenho teria sido afetado pelo sequestro da sua irmã aqui no Brasil, o que prejudicou psicologicamente o jogador. Neste mesmo período em que esteve no Milan, o Real Madrid havia negociado o atacante Ronaldo e buscava um substituto, chegou a contratar Ricardo Oliveira, porém a FIFA barrou a contratação do jogador, pois já havia atuado por três clubes na temporada.

Ricardo Oliveira sob comando de Caio Junior em 2012 no Al-Jazira.

Ricardo Oliveira sob comando de Caio Junior em 2012 no Al-Jazira.

Em 2007, foi para o clube espanhol Zaragoza, onde ficou até 2009, fazendo 31 gols em 61 jogos. Em 2009 voltou para o Betis para encerrar sua passagem por times espanhóis com 6 gols em 16 jogos. No ano de 2009 mesmo foi para o Al-Jazira do Emirados Árabes Unidos, onde ficou de 2009 a 2014, fazendo impressionantes 92 gols em 125 jogos, ajudando o time a conquistar a Etisalat Emirates Cup (2009/10), a UAE League (2010/11) e as UAE President Cup (2010/11 e 2011/12), sendo artilheiro da Liga dos Campeões da AFC 2012 com 12 gols, em 2012 atuou sob o comando de Caio Junior, técnico falecido no desastre do avião da Chapecoense, ele era técnico da equipe de Chapecó. No meio deste período, atuou emprestado ao São Paulo, fazendo 8 gols em 17 jogos. Na temporada 2014/15, atuou pelo Al Wasl , onde fez 4 gols em 12 jogos.

Em 2015 Ricardo Oliveira voltou para atuar pelo Santos FC, para viver um dos melhore momentos de sua carreira, artilheiro (11 gols) campeão, eleito o craque e fez parte da seleção  do Campeonato Paulista 2015. Ele também foi o artilheiro (20 gols), Bola de Prata, Chuteira de Ouro e Craque do Campeonato Brasileiro de 2015. Desde então vem jogando pelo Santos FC, agora no final de 2016, a diretoria do clube garante seu artilheiro para 2017. Não poderia deixar de citar sua passagem pela seleção brasileira, onde começou a atuar em 2004 e conquistou a Copa América (2004) e a Copa das Confederações (2005), totalizando 5 gols em 16 jogos.

Boas Apostas!