Michael Essien apresenta um curriculum invejável no futebol europeu. Aos 34 anos, o meia ganês que representou Chelsea, Real Madrid, Lyon e AC Milan regressa à ação para abraçar um desafio bem alternativo.

EssienUma Liga dos Campeões, duas edições da Premier League, três da FA Cup, uma Supercopa da Inglaterra e dois troféus de campeão da Ligue 1. Michael Essien, médio ganês de caraterísticas defensivas, teve uma trajetória de sucesso em solo europeu. Revelado pela base do Liberty Professionals Accra, chegou à Europa em 2000, para representar o Bastia, antes de rumar ao Lyon onde se tornaria campeão francês. Seguiu-se a passagem por Londres com direito a conquista da Liga dos Campeões e um empréstimo ao Real Madrid pelo meio, rumando posteriormente ao AC Milan. Foi precisamente no Chelsea que viveu a fase mais delicada de sua carreira, quando se lesionou na prétemporada 2011/12 no ligamento cruzado. Em julho de 2015, já na fase descendente de sua carreira, assinou com os gregos do Panathinaikos, Pouco utilizado e afetado por lesões Michael Essien se desvinculou do clube ateniense em setembro de 2016. Sem jogar desde então, Michael Essien chegou a acordo com o Persib Bandung esta semana, clube do principal escalão da Indonésia que representará até final do ano.

O meia que esteve presente no Mundial 2014 ao serviço da seleção ganesa não resistiu à possibilidade de regressar aos gramados, mesmo sem se tratar de um emblema que atue num campeonato de alto nível. Em setembro, pouco depois de deixar o Panathinaikos, Michael Essien recebeu uma proposta dos australianos do Melbourne Victory, hipótese que na altura rejeitou, não se demonstrando interessado em se alistar no emblema da Oceânia. Para manter a boa forma enquanto esteve oficialmente ausente dos gramados, Michael Essien regressou ao Londres, às instalações do “seu” Chelsea para manter a forma física e realizar sessões de treinamento com o time e reservas dos “Blues”.

Longe vão os tempos em que o futebol do país funcionava como refúgio para jogadores em final de carreira. Vale recordar que tanto o camaronês Rogr Milla como o argentino Mario Kempes chegaram a atuar no país. Em Bandung, Michael Essien se juntará a um time que conta mais quatro “gringos” para essa temporada: Sergio van Dijk, Shohei Matsunaga, Abdul Keita e Vladimir Vujovic. De resto, este elenco do Persib Bandung se destaca pela experiência, visto que a idade média dos jogadores que o compõem, segundo o “Transfermarkt”, é superior a 30 anos. Michael Essien, com os seus 34 anos, contribuirá para média no que diz respeito à idade e incutirá a experiência que acumulou na alta roda do futebol europeu. O time é treinado pelo indonésio Emral Abus, técnico de 58 anos de idade, e na última edição do principal escalão da Indonésia terminou na 5ª posição da tabela classificativa. Em entrevista ao mídia locais, Michael Essien espera que a sua transferência (valores salariais não foram divulgados) seja “o início de algo bom não para o Persib como para o futebol da Indonésia”, assegurando que espera que mais antigas estrelas do futebol europeu sigam seu exemplo e rumem ao país asiático.

Boas Apostas!