O Clube Atlético Paranaense que acabou o Campeonato Brasileiro de 2016 na sexta colocação e garantiu uma vaga na Pré-Libertadores, já está se reforçando consideravelmente para a próxima temporada.

Felipe Gedoz em sua apresentação no Atlético Paranaense.

Felipe Gedoz em sua apresentação no Atlético Paranaense.

Além de manter a base de 2016, o Atlético já anunciou a contratação do experiente atacante Grafite de 37 anos que já foi campeão da Libertadores e do Mundial em 2005 pelo São Paulo, o Atlético também contratou o lateral-direito Jonathan que tem passagem pela Internazionale da Itália e já foi campeão da Libertadores pelo Santos FC.

Agora o Furacão, como é chamado o Atlético Paranaense, anunciou mais um reforço para a temporada de 2017 nesta sexta-feira (30), Felipe Gedoz é o nome da vez, o meia-atacante de 23 anos assinou contrato de 3 temporadas até dezembro de 2019. Felipe Gedoz chega para ser o camisa 10 do time, os clubes em que Felipe Gedoz atuou foram o Defensor-Uruguai (2012 a 2014); Club Brugge-Bélgica (2014-2016); Seleção Brasileira Sub-21 e Seleção Brasileira Sub-23. Em sua curta carreira profissional, o meia conquistou os seguites títulos: Torneio Internacional da China com a Seleção Brasileira (2014); Copa da Bélgica (2014–15); Campeonato Belga (2015–16) e Supercopa da Bélgica (2016).

O atleta tinha contrato firmado com o clube Brugge da Bélgica até junho de 2018 e vinha sendo sondado pelo Santos F.C., porém uma multa de uma cláusula contratual de renovação automática no valor de 1,2 milhão de euros (cerca de R$ 4,18 milhões) para que o meia ficasse disponível em janeiro, com isso a negociação esfriou e o Atlético entrou na briga e contratou o jogador.

O meia Felipe Gedoz

Felipe Gedoz pela seleção brasileira Sub-23.

Felipe Gedoz pela seleção brasileira Sub-23.

O jovem meia atacante de 23 anos de idade é nascido no Rio Grande do Sul e passou pela formação de base do Juventude, Carazinho e Guarani, todos clubes gaúchos. estreou profissionalmente em 2012 pelo Defensor do Uruguai. Pelo clube uruguaio, ganhou experiência na Copa Libertadores, quando em ótima fase, disputou dez partidas e marcou quatro gols ajudando o Defensor do Uruguai a chegar até a semifinal, Felipe Gedoz acabou como vice-artilheiro da competição de 2014. Sobre isso o jogador comentou em sua apresentação no Atlético Paranaense: “Por ser jovem, ter sido o vice-goleador da Libertadores foi algo muito marcante.  Voltar a jogá-la é muito gratificante para mim. São jogos muito competitivos e acredito que estou pronto para essa competição”, afirmou, reforçando a importância da Copa Libertadores. “Não é só o sonho do Clube, mas sim dos jogadores. Já vivi momentos lindos na Libertadores e sei como é importante. Espero corresponder da melhor maneira possível”, comentou o jovem meia.

Em 2014 o meia foi negociado com o clube belga Brugge, onde vinha atuando antes da contratação feita pelo Atlético Paranaense. Pelo Brugge, o meia conquistou a Copa da Bélgica (2014/15), o Campeonato Belga (2015/16) e a Supercopa da Bélgica (2016).

Felipe Gedoz pelo clube Brugge da Bélgica.

Felipe Gedoz pelo clube Brugge da Bélgica.

Felipe Gedoz chega no Atlético Paranaense para vestir a camisa 10 e suprir a necessidade de um meia de criação, setor carente no time paranaense. O gaúcho chega a Curitiba para atuar em uma grande equipe da elite do futebol brasileiro e realizar o sonho de atuar profissionalmente no seu país de origem. “Para mim é um sonho de criança. Estive muito tempo fora com as experiências no Uruguai e na Bélgica. Então, estou muito feliz em poder voltar ao meu país e espero mostrar meu futebol aqui”, comentou Felipe e continuou: “Poder realizar esse sonho em um clube com a grandeza do Atlético é especial. Um clube com nível europeu. Estou muito satisfeito e espero dar muitas alegrias ao torcedor”, completou.

O jogador também tem uma história com a seleção brasileira, atuou com a camisa amarelinha desde 2014, quando foi convocado pela seleção brasileira Sub-21. Em 2014 mesmo conquistou o Torneio Internacional da China de 2014 e no mesmo ano já foi integrado à seleção brasileira Sub-23. Suas características de forte marcação, velocidade e boa finalização fizeram a diferença na hora das convocações, o próprio jogador afirmou isso na entrevista na apresentação no Atlético Paranaense:  “O futebol uruguaio me fez tornar um pouco mais agressivo, com mais pegada. Também me ajudou na parte defensiva. Em campo tenho um bom chute e velocidade. Demonstrei isso na Libertadores, no Brugge e também na Seleção Brasileira. E o torcedor pode contar comigo que estarei pronto para ajudar”, finalizou Felipe Gedoz.

Boas Apostas!