Os uniformes passaram a fazer parte do futebol após 1870. A torcida e comentaristas começaram a pedir um método para diferenciar os jogadores. Com o passar dos anos os uniformes tornaram-se um símbolo e um item de marketing importantíssimo e uma indústria bilionária. No Brasil o uniforme da seleção de futebol sofreu várias mudanças e adaptações nos últimos 102 anos ao longo de sua história.

Uniforme da Seleção em 1914

Uniforme da Seleção em 1914

Em 1914-  os uniformes eram feitos de fibra grossa de algodão que retinha o suor e a umidade, o que dificultava muito o movimento dos jogadores já que o tecido pesava no corpo. O Shorts tinha um cordão na cintura.

  • O Brasil entra em campo em sua primeira copa do Mundo vestindo uma camisa branca com cordões na gola e o distintivo da CBD (Confederação Brasileira de Desportos).
  • Os calções dos jogadores ficaram mais curtos com cordão no cós e cintura alta.
  • A camisa branca, agora sem as cordas, tinha o escudo da CBD em tamanho maior e gola em v. Um segundo uniforme todo azul foi usado pela seleção brasileira na primeira partida na copa da França, quando derrotou a Polônia por 6×5 na prorrogação. Nesta copa o Brasil ficou em terceiro lugar.

1945- Os calções ficaram mais justos e curtos, com cós mais baixo, e ganharam uma listra lateral.

 

Uniformes 1930 a 1950

Uniformes 1930 a 1950

1950 – Copa em que o Brasil perdeu o título para o Uruguai por 2×1 (no Brasil). Neste ano iniciou um concurso promovido pelo Jornal Correio da manhã para eleger um novo uniforme para a seleção brasileira usando as quatro cores da bandeira brasileira (verde, amarelo, azul e branco). Esse concurso teve como ganhador o gaucho Aldyr Gracia Schlee um ilustrador de 19 anos. Assim surgia a camisa amarela com detalhes verdes, bermudas azuis e meias brancas, uniforme usado nos mundiais de 1958, 1962 e 1966, o qual deu origem ao apelido “ Seleção Canarinho”. Na Copa de 1958 na partida contra a Suécia, qual tinha a cor amarela em seu uniforme, o Brasil usou uma camisa azul.

1974 – A camisa ganhou 3 estrelas acima do distintivo da CBD (títulos de 1958, 1962 e 1970).

1978- A camisa tinha 3 listras nas mangas compridas referente ao patrocinador ADIDAS.

Em 1978 a seleção exibia as três listras da Adidas

Em 1978 a seleção exibia as três listras da Adidas

1982-  Pela primeira vez a sigla da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) aparece no uniforme da seleção, um escudo em homenagem a taça Julio Rimet e tinha um novo patrocinador, o Instituto Brasileiro de café.

1986- Logotipos de patrocinadores e suas marcas foram aplicados.

1990- Os calções ficaram mais compridos e largos.

1994-  Destaque para os três títulos do Brasil (1958, 1962 e 1970), três estrelas são acrescentadas sobre o escudo tradicional além de outros escudos em marca d’água também aparecem na camisa. A FIFA, no mundial nos Estados Unidos, obrigou os times a colocarem o nome nas costas das camisas e números na parte da frente.

1996- A Nike comprou os direitos sobre a camisa, o maior patrocínio da época.

Uniformes fabricados pela Nike

Camisa da seleção na Copa de 2014

Camisa da seleção na Copa de 2014

1998 – Agora com mais um título são quatro estrelas acima do escudo, e nas mangas duas listras verdes.

2002- A camisa passou a ter gola amarela e verde.

2006-  A camisa tinha cinco estrelas acima do escudo e na gola, além da frase “ Nascido para jogar futebol” próximo da barra.

2010- A tecnologia entrou em cena, uma peça justa usada sob o uniforme, o Pró-Combat Slider Short da Nike proporcionava aos jogadores proteção contra as variações do clima do continente africano sem prejudicar os movimentos dos jogadores.

2014- O símbolo da CBF é maior, a camisa tem um tom mais amarelo e a gola em forma de Y.

A qualidade melhorou muito

Com certeza podemos afirmar que os uniformes apresentaram uma evolução muito grande. Isto trouxe benefício em diversas áreas, fazendo com que os jogadores utilizem um vestuário mais leve, tecnológico, e de maior mobilidade. Os narradores também tiveram benefícios, com o número e nome de cada jogador atrás da camisa. Como já era de se esperar, o uniforme também evoluiu na questão financeira, trazendo grandes lucros com os patrocínios. Com certeza a evolução vai continuar, e a tecnologia, finanças e bem-estar, sempre acompanharão os uniformes.