Botafogo e Atlético Paranaense se estrearam com vitórias na pré da Libertadores 2017. Os dois times brasileiros que lutam pelo acesso à fase de grupos da competição continental levam vantagem miníma para os encontros da próxima semana.

Foto: "AFP"

Foto: “AFP”

A atuação do Botafogo nos primeiros 45 minutos da partida com o Colo-Colo justifica a vantagem conquistada pelo time Carioca. O técnico Jair Ventura apostou numa estratégia ofensiva ao abdicar da trinca de volantes para essa primeira partida e o “Fogão” venceu por dois a um, saindo na frente antes da visita a Santiago do Chile agendada para a próxima semana. O Botafogo abriu o placard à meia hora de jogo graças a um gol de Airton, volante que foi determinante no equilíbrio defensivo da equipa durante todo o primeiro tempo mas teve que abandonar a partida ao intervalo por lesão. Um gol contra de Esteban Pavez colocou o “Fogão” em vantagem por dois de diferença no final dos primeiros 45, vantagem prometedora e satisfatória para o torcedor botafoguense. Porém, a entrada na segunda etapa foi bem distinta dos acontecimentos da primeira. Sem o lesionado Airton, o Botafogo demorou a se equilibrar, quebrou o ritmo e o Colo-Colo aproveitou para crescer no jogo. Aos 51 minutos, no interior da área brasileira, Esteban Paredes bateu o guarda-redes Gatito Fernández e encurtou a distância para dois a um. A partir daí, a partida partiu qualidade, a briga a meio-campo se intensificou e a quantidade de oportunidades para os dois times foi reduzida. Do lado botafoguense, Montillo e Camilo quebraram fisicamente e o ataque não conseguiu criar ocasiões junto à baliza guardada pelo internacional paraguaio Justo Villar e a vantagem ficou pela margem miníma. Agora, o “Fogão” vai ter que conservar essa vantagem na visita ao Monumental David Arellano, em Santiago do Chile. Na partida do Carioca desse final de semana, Jair Ventura vai apostar num time com vários reservas para ter a equipe ao seu melhor nível para o segundo confronto com o Colo-Colo.

Experiência que define

Foto: "Ernani Ogata/Estadão Conteúdo"

Foto: “Ernani Ogata/Estadão Conteúdo”

A Arena da Baixada, “cofre forte” do Atlético Paranaense em 2016, voltou a assistir a um sucesso do “Furacão” de Curitiba. Frente ao Millonarios da Colômbia, o time que continua sob a orientação de Paulo Autuori venceu por uma bola a zero e viaja para o Nemesio Camacho, em Bogotá, com vantagem miníma na eliminatória.

Em noite de estreia absoluta com a camisa do Atlético Paranaense – tinha falhado o recente amistoso com o Peñarol por questões físicas -, o principal reforço para essa temporada definiu a partida. Aos 37 anos, Grafite, camisa 23 do Atlético Paranaense, marcou o gol que dá vantagem ao time antes da partida decisiva que está marcada para a próxima semana. O gol que deu o triunfo foi marcado aos nove minutos da segunda etapa, na conversão de uma grande penalidade ganha pelo atacante Pablo. Além de Grafite, os reforços Jonathan (lateral direito) e Felipe Gedoz (centroavante) integraram o time titular, enquanto Carlos Alberto entrou ao intervalo. Num encontro em que o Atlético Paranaense não criou grandes ocasiões para marcar, a bola parada serviu para assegurar uma vantagem bem  importante, sobretudo pelo fato de não ter sofrido nenhum gol. No final da partida, Paulo Autuori deixou elogios ao adversário e admitiu que o time do Atlético Paranaense cometeu alguns erros sobretudo defensivamente que poderiam ter saído bem caros, mas admitiu que nessa fase tão prematura da temporada o time ainda se acerta e também não está a 100 por cento fisicamente.

Boas Apostas!