O “quartel general” da UEFA, em Nyon, acolheu o sorteio das quartas da Liga dos Campeões 2016/17 na manhã desta sexta feira. Com o contributo de Ian Rush, ídolo da torcida do Liverpool, as oito equipas que seguem em prova conheceram seus destinos no caminho para a final de Cardiff. A chave definiu dois confrontos entre colossos do futebol europeu que já conquistaram o troféu mais importante do continente. As partidas de ida estão marcadas para 11 e 12 de abril, enquanto os jogos da volta vão ser disputados a 18 e 19.

Bayern - RealA chave definiu uma empolgante entre Bayern de Munique e Real Madrid, nada mais nada menos que dois grandes candidatos à conquista do troféu. O último duplo confronto entre espanhóis e alemães, nas meias finais da Liga dos Campeões 2013/14, culminou com dois triunfos do Real Madrid (1-0; 0-4), vingando a eliminação de 2011/12 em pleno Bernabéu. Carlo Ancelotti, um “expert” nessas andanças milionárias, reencontra o clube com o qual conquistou “La Décima”. Na última ocasião em que os dois times se defrontaram, Toni Kroos, hoje em Madrid, ainda defendia as cores do Bayern. O campeão em título vai ter uma missão bem dura frente a um Bayern de Munique que domina seu campeonato em pleno e quer chegar a Cardiff. Se o time germânico aparenta ter melhores argumentos em termos coletivos que a formação treinada por “Zizou” e Carlo Ancelotti conhece bem o time da capital espanhola, o Real Madrid já provou que é uma equipa com “pedigree” europeu, à prova de qualquer adversário. Uma verdadeira final antecipada “à sul-americana”, por se disputar a duas mãos.

O outro duplo compromisso entre campeões europeus opõe Juventus e Barcelona, times que reeditam a final de 2014/15, em Berlim. A “Vecchia Signora” espera que o desfecho dessa eliminatória que se avizinha seja diferente, sobretudo depois de se ter reforçado essencialmente com a possibilidade de conquistar a Liga dos Campeões na mira. Nos gramados de Camp Nou e Juventus Stadium estarão à prova duas filosofias distintas. O calculismo da pentacampeã italiana vai estar a toda a prova contra uma formação “Culé” para a qual não há impossíveis, sobretudo depois da remontada história nas oitavas, contra o PSG. Tal como contra os franceses, o Barcelona jogará a partida de volta em casa, perante seus adeptos.

O Atlético de Madrid, terceiro emblema espanhol ainda em prova e atual vice europeu, não poderia ter um adversário mais “simpático” que o Leicester, pretendido por todos os emblemas que foram a sorteio. Depois de terem defrontado o Bayer Leverkusen nas oitavas, os “Colchoneros” voltam a não ter razões de queixa da sorte, não obstante o respeitável estatuto do Leicester que alcançou essa fase com todo o mérito. O campeão inglês vai ter uma tarefa muito exigente pela frente, regressando a Espanha depois de ter eliminado o Sevilha de Sampaoli, time que até está a protagonizar uma temporada melhor que o Atlético no campeonato espanhol. Por outro lado, encontrará uma equipe bem mais experiente em cenário de Liga dos Campeões, comandada pelo exigente Diego Pablo Simeone que subordina toda sua a filosofia do time a uma só premissa: “Que nunca se renda”.

O surpreendente AS Mónaco de Leonardo Jardim, detentor do melhor ataque dos principais campeonato da Europa, prepara-se para desafiar a “muralha amarela” que mora no Westfalenstadion. Depois de eliminar o Manchester City de Pep Guardiola, a equipa do Principado francês volta a enfrentar um time intratável em termos atacantes, que não se satisfaz com uma mera vitória e procura sempre fazer mais e melhor. Nestas quartas como nas oitavas, a definição da eliminatória será jogada em França, no Stade Louis II. Se adivinham dois embates entusiasmantes, com muitos gols envolvidos e desfecho imprevisível. Este Mónaco sonha alto e quer provar isso mesmo nos dois embates frente aos alemães, finalistas vencidos em 2011/12.

Boas Apostas!