Sábado, 4 de novembro de 2023, 17h00, Maracanã, Rio de Janeiro. A “Cidade Maravilhosa” recebe a decisão da competição de clubes mais importante da América do Sul. O Fluminense, em sua zona de conforto, ambiciona subir ao trono o futebol sul-americano pela primeira vez na sua história, enquanto o Boca Juniors quer ser responsável por novo “Maracanazo” e igualar o Independiente como maior vencedor da Libertadores. Os dados estão lançados para que sejam feitas as primeiras apostas na final da Libertadores.

Os mercados para apostas na final da Libertadores 2023 já estão sendo disponibilizados pelas maiores Casas de Apostas e esse é o momento ideal para projetarmos a partida. Saiba como fazer apostas na Libertadores.

Jogue com os Melhores Bônus e Promoções

15 anos depois, o “Flu” tem nova chance

O Fluminense se prepara para disputar a final da Copa Libertadores pela segunda vez na história e lutará por um desfecho diferente.

A 3 de julho de 2008, o Maracanã acolheu o encontro de volta da final entre Fluminense e LDU Quito.

No jogo de ida, disputado na capital equatoriana uma semana antes, a LDU Quito tinha saído com vantagem: vitória por quatro a dois com gols de Claudio Bieler, Joffre Gerrón, Jairo Campos e Patricio Urrutia, sendo que Darío Conca e Thiago Neves descontaram para o “Flu”.

No Rio, a partida começou da pior forma para o Fluminense que viu a LDU Quito abrir o placar logo aos seis minutos. Com a vantagem dos equatorianos em 5-2, o “Flu” precisou correr atrás e contou com o gênio de Thiago Neves que assinou um “hat-trick” com gols aos 12 e 28 do primeiro tempo bem como aos 13 do segundo.

Com a final empatada no final da prorrogação, a decisão seguiu para os pênaltis. Aí, a LDU foi mais forte e venceu por três a um, celebrando aquele que foi o primeiro (e único, até hoje) título da Libertadores em toda a sua história. Os “Albos” são, ainda, o único emblema equatoriano capaz de vencer a competição de clubes mais importante do continente.

Década e meia depois, contra as expetativas assim como aconteceu em 2008, o Fluminense está classificado para a final da Libertadores. Ainda assim, há 15 anos atrás, o “Flu” apresentava um time bem mais caro tanto em termos de montagem quanto a nível salarial, já que na época contava com o apoio da Unimed. Thiago Silva, Thiago Neves, Darío Conca, Dodô e Washington eram as principais referências do time liderado por Renato Gaúcho.

Atualmente, analisando o time Carioca, diríamos que se trata de um conjunto que vale sobretudo pelas dinâmicas coletivas, pela capacidade de construir a partir de trás pela vocação ofensiva. Ainda assim, está claro que não vale tirar o mérito de individualidades como Paulo Henrique Ganso, Marcelo, André, Kennedy ou Germán Cano.

Fluminense é o favorito para as Casas de Apostas

O Fluminense é apontado como favorito segundo as odds para apostas na final da Libertadores 2023 para a generalidade das Casas de Apostas.

No momento em que escrevemos essas linhas, a Betfair, em sua versão Sportsbook, estava atribuindo uma odd de 2.05 à vitória do Fluminense no tempo normal da partida.

Já a odd relativa à possibilidade de o Fluminense vencer o troféu (independentemente de conseguir concretizar esse objetivo no tempo normal, na prorrogação ou nos pênaltis) está cotada a 1.57.

Fluminense na Libertadores 2023

O Fluminense iniciou seu trajeto no Grupo D, partilhado com River Plate, Sporting Cristal e The Strongest.

Brasileiros e argentinos foram apontados desde início como maiores candidatos a chegar nas “oitavas”, cenário que se acabou por confirmar, já que os dois times terminaram nos dois primeiros lugares da chave com dez pontos cada.

Na primeira fase, destaque para a goleada por cinco a um ao River Plate, no Maracanã.

Chegado nas “oitavas”, o Fluminense voltou a se encontrar com um rival argentino e também de Buenos Aires, no caso, o Argentinos Juniors. Após um empate a um gol no Estádio Diego Armando Maradona com um gol de Samuel Xavier já vem perto do final, o Fluminense venceu o jogo de volta por dois a zero, uma vez mais com gol de Samuel Xavier bem perto do final da segunda metade e com um tento da autoria de John Kennedy já nos acréscimos.

Nas “quartas”, a ordem se inverteu: o Fluminense jogou a ida em casa e volta fora de portas. Na eliminatória em que teve os paraguaios do Olimpia como rivais, o “Flu” começou por vencer no Rio por dois a zero, gols de André e Germán Cano, repetindo o sucesso no Defensores del Chaco, em Asunción, com vitória por três a um, gols de Kennedy e Germán Cano (2).

Chegados nas semis, com três emblemas brasileiros e um argentino como “resistentes”, tocou ao Fluminense se debater com os compatriotas do Internacional de Porto Alegre.

O jogo de ida, no Maracanã, não correu da melhor forma ao Fluminense. Apesar de até ter saído na frente com um gol de Germán Cano aos dez minutos, Samuel Xavier foi expulso perto no final do primeiro tempo e, aos 19 do segundo tempo, o Internacional já liderava por 1-2. A 12 minutos do final da segunda metade, Germán Cano fez o segundo da conta pessoal e do Fluminense e evitou males maiores, adiando todas as decisões para o Beira-Rio, em Porto Alegre.

No Rio Grande do Sul, o Fluminense entrou perdendo, mas não perdeu o controle e procurou impor seu jogo. John Kennedy deixou tudo igual aos 36 do segundo tempo e, aos 42, Germán Cano se converteu no herói do time Carioca ao fazer o 1-2 que permitiu confirmar o acesso à segunda final da história do Fluminense.

Boca Juniors quer igualar estatuto do Independiente

Se o Fluminense ambiciona colocar seu nome na lista de emblemas que já venceram a maior competição de clubes do continente ao menos uma vez, o objetivo do Boca Juniors é diferente mas igualmente ambicioso: os “Xeneize” querem partilhar o estatuto de maiores vencedores da prova com o Independiente.

Por esta altura, o Independiente, emblema que não vence a Libertadores desde 1984, segue sendo o maior campeão da América do Sul com sete edições em seu palmarés. O Boca Juniors, que venceu a Liberta pela última vez em 2007, conta com seis troféus na sua posse.

Após a conquista de 2007, o Boca Juniors já participou de mais duas finais, uma em 2012 (perdida para o Corinthians) e outra em 2018 (perdida para o River, na célebre final de Madrid).

A incrível resistência do Boca

Aconteça o que acontecer nessa final, o Boca Juniors já fez história ao se converter na primeira equipa da história a chegar na final da Libertadores sem vencer um único encontro no “mata-mata”. Nos referimos, logicamente, a resultados alcançados no tempo normal.

O trajeto do Boca Juniors nessa Libertadores 2023 começou no Grupo F, partilhado com Deportivo Pereira, Colo-Colo e Monagas. O time “Xeneize” venceu a chave com 13 pontos, cinco a mais que o Deportivo Pereira que também se classificou às “oitavas”.

Na primeira etapa do “mata-mata”, o Boca Juniores se enfrentou aos uruguaios do Nacional. No Gran Parque Central, em Montevideo, o resultado final foi um empate sem gols que adiou a decisão para o segundo encontro, na Bombonera. O favoritismo estava naturalmente do lado do Boca Juniors, mas foi preciso esperar pelos pênaltis para que o time comandado por Jorge Almirón segurasse o acesso com uma vitória por quatro a dois.

Se iniciava um percurso singular, marcado por uma notável capacidade de resiliência demonstrada por essa equipa do Boca Juniors que, nas “quartas”, voltou a ter um rival argentino pela frente, no caso, o Racing. Durante 180 minutos, não houve gols e a decisão foi para os pênaltis no “Cilindro” de Avellaneda, palco do encontro de ida. Uma vez mais, no momento da decisão através da marcação de pênaltis, o Boca Juniors foi mais forte e conseguiu carimbar seu passaporte para as “semis” da Libertadores.

No último passo antes de avançar à decisão, o Boca Juniors se enfrentou ao Palmeiras, vencedor de duas das últimas três edições da Libertadores e eliminado nas “meias” em 2022.

A ida, na Bombonera terminou sem gols, tal como três dos quatro encontros anteriores nos quais o Boca esteve envolvido nessa Libertadores. Já em São Paulo, no Allianz Parque, o Boca se adiantou por Edinson Cavani, ficou reduzido a dez jogadores aos 21 do segundo tempo, viu o adversário empatar a 17 minutos do fim (mais acréscimos) e mesmo assim foi capaz de resistir, levando as contas finais para os pênaltis.

Aí, a história se escreveu exatamente da mesma forma que nas eliminatórias anteriores e foi o Boca Juniors quem avançou, mais uma vez, nessa ocasião em direção à final do Maracanã.

Se o controle em termos emocionais do Boca Juniors merece destaque, ao nível individual, tem um elemento dos “Xeneize” que precisa ser elevado: Sergio Romero. Em 23 pontapés de pênalti na temporada, 12 foram falhados, estatística insana e que ajuda a explicar como que o Boca Juniors chegou nessa decisão.

Assistir a final da Libertadores 2023

A final da Copa Libertadores 2023 vai ser jogada no dia 4 de novembro a partir das 17 horas (horário de Brasília) no Maracanã, no Rio de Janeiro.

A final mais importante do futebol continental poderá ser assistida através da TV Globo, ge e ESPN.

Artilharia da Libertadores 2023

Germán Cano tem desempenhado um papel bem importante na campanha do Fluminense e se prepara para terminar essa Libertadores 2023 como maior artilheiro da competição.

Aos 35 anos, o protagonista em vários momentos decisivos leva 12 gols apontados na competição, vai com certeza agarrar a premiação e espera poder contribuir uma vez mais decisivamente para que o seu time erga o troféu mais desejado do continente.

Ao consultarmos as odds disponíveis para mercados de marcadores de gols, verificam que um tento da autoria de Germán Cano nessa final da Libertadores 2023 está cotado a 2.40 na Betfair.

Retrospeto Fluminense – Boca Juniors

Olhando para o retrospeto de enfrentamentos, Fluminense e Boca Juniors já se encontraram por seis vezes na Libertadores, no caso, em duas edições distintas da competição.

Curiosamente, nas duas edições em que se enfrentaram, um dos dois emblemas chegou na final.

Os dois primeiros enfrentamentos aconteceram em 2008, nas “semis”. Após um empate a dois na Bombonera, na volta, o “Flu” venceu por três a um no Maracanã e avançou para a final que acabaria perdendo para a LDU Quito.

Já em 2012, os dois times se enfrentam nos Grupos e posteriormente na fase a eliminar. Na primeira etapa, o Fluminense venceu em Buenos Aires (1-2) e o Boca “se vingou” no Rio de Janeiro, com vitória por dois a zero. Nas “quartas”, os “Xeneize” se superiorizaram já que venceram por um a zero na Bombonera e empataram no Maracanã (1-1). Assim como o Fluminense em 2008, o Boca também acabaria perdendo a final, nesse ano, para o Corinthians.

Como realizar apostas na final da Libertadores 2023

A final mais aguardada da temporada sul-americana terá múltiplos mercados disponíveis em todas as Casas de Apostas.

Consulte as odds que estão sendo disponibilizadas em sua Casa de Apostas favorita, faça sua análise e invista nessa decisão que vai ser acompanhada um pouco por todo o mundo.

Caso não considere oportuno avançar no pré-live, acompanhe o jogo e espreite sua oportunidade para investir ao vivo, uma vez que vão ser muitas as opções disponibilizadas para que o faça.

Perguntas Frequentes

1) Quando é a final da Libertadores 2023?

A final da Libertadores 2023 vai se realizar no dia 4 de novembro, no Rio de Janeiro.

2) Quem vai discutir a final da Libertadores 2023?

A final da Libertadores 2023 vai ser disputada por Fluminense e Boca Juniores.

3) Onde posso fazer apostas na final da Libertadores 2023?

Poderá apostar na final da Libertadores 2023 em Casas de Apostas como a Betfair, a Bet365, a 1xBet, a 22Bet ou a 188Bet.

As melhores Casas de Apostas

Boas Apostas!