O técnico Roger Ceni está perto de ver seu pedido atendido. A direção do São Paulo foi ao mercado para assegurar o concurso de uma solução para a lateral esquerda do time e Edimar estará praticamente fechado. Sem espaço no Cruzeiro, o jogador com passagem por vários clubes europeus deverá chegar para a posição, procurando se relançar.

A lateral esquerda corresponde a uma das maiores lacunas do São Paulo, emblema que viu Eugenio Mena partir no começo de 2017. Após a saída do internacional chileno, o São Paulo cedeu Carlinhos (Internacional), Reinaldo (Chapecoense) e Matheus Reis (Bahia), considerando que por uma razão ou por outra, nenhum dos atletas em causa possuía capacidade suficiente para ser solução pelo corredor lateral. O jovem Júnior Tavares tem sido opção para a lateral esquerda, tal como o argentino Buffarini, embora o ex-San Lorenzo não apresente as melhores credenciais para atuar na posição. Roger Ceni deu conta à direção de sua intenção em contratar mais uma solução para a posição e essa foi encontrada no Cruzeiro, em Edimar. O acordo está perto de se concretizar.

Sem espaço no Cruzeiro

EdimarFormado na base do Cruzeiro, time que atualmente representa, Edimar tem uma passagem interessante pelo futebol europeu, onde representou Rio Ave (Portugal), Córdoba (Espanha), Chievo Verona (Itália), Cluj (Roménia) ou Skoda Xanthi (Chipre). Suas boas exibições com a camisa dos vilacondenses do Rio Ave deixou o lateral muito bem cotado no futebol português. Aquando da chegada ao Cruzeiro, o técnico Paulo Bento pediu sua contratação e a diretoria do clube assegurou o regresso do jogador. A passagem do técnico luso pelo time de Belo Horizonte foi fugaz e Edimar caiu junto, perdendo espaço no time e passando praticamente todo o Brasileirão na sombra. Aos 30 anos, o jogador está insatisfeito com sua pouca utilização na “Raposa” e procura decididamente dar novo rumo à carreira. Nesse momento, tendo em atenção a hierarquia para a lateral esquerda do Cruzeiro, Edimar surge atrás de Diogo Barbosa, Fabricio e Bryan. A possibilidade de se mudar para um time como o São Paulo, aliado à oportunidade de ser primeira escolha, seduz Edimar a aceitar a escolha.

O São Paulo encontrou em Edimar uma solução interessante para seus problemas e para além disso, a direção da “Raposa” não colocará entraves à saída do jogador. Pouco dado a grandes investimentos nesse momento, o São Paulo preferirá recorrer a uma cedência até dezembro, até porque pretende perceber primeiramente em que condição se encontra o jogador. O Cruzeiro deverá aceitar os termos, concretizar a negociação e colocará uma única condição: O São Paulo assumir todos os salários do jogador durante este mesmo período. Edimar é aguardado em São Paulo esta semana para cumprir os habituais exames médicos, chegar a um entendimento quanto às bases salariais e formalizar o acordo, se mudando pelo menos até dezembro. Júnior Tavares deverá continuar a ser opção nos próximos jogos do Paulistão, até que Edimar se integre no novo elenco.

Boas Apostas!