A janela de transferências europeia está encerrada desde 31 de agosto – 1 de setembro no caso espanhol -, mas o Atlético de Madrid continua muito atento à situação de Diego Costa. Após um verão em que o time “colchonero” não esteve ativo no mercado devido a uma sanção aplicada pela FIFA, o retorno do atacante brasileiro em dezembro é o grande objetivo da diretoria do clube.

Foto: "Getty Images"

Foto: “Getty Images”

A imprensa inglesa volta esta terça-feira (13) a abordar a possibilidade de Diego Costa retornar ao Atlético de Madrid a breve prazo. O técnico Antonio Conte comunicou ao jogador no final da época transata que não contava com seus serviços para a nova época e, desde então, as polémicas se têm sucedido. Na semana passada, o tabloide britânico “The Sun” revelou que os responsáveis do clube londrino terão ordenado o reboque do Range Rover para a zona das camadas jovens, esvaziando igualmente o cacifo do jogador. Diego Costa muito dificilmente voltará a vestir a camisa dos “blues” e o Atlético de Madrid é a hipótese que mais agrada ao jogador, até porque falamos do clube onde passou a melhor fase da sua carreira, se tornando inclusive internacional pela Espanha. Durante o último defeso, o jogador surgiu em um “live” nas suas redes sociais vestindo a camisa do Atlético de Madrid, acontecimento que foi visto pelos responsáveis espanhóis como uma clara provocação.

Atlético quer Diego Costa nos treinos

Segundo a edição desta quarta-feira do “Daily Mail”, em cima da mesa estará a possibilidade de o Atlético de Madrid pagar ao Chelsea 4,5 milhões de euros para ter o jogador nas sessões de treino com o restante elenco. A partir do momento em que recebeu ordem de dispensa por parte do técnico Antonio Conte, os responsáveis do time de Stamford Bridge deu ordens para que o atleta treinasse à parte dos restantes companheiros, ordem rejeitada pelo jogador. Longe de Cobham, em Sergipe, Diego Costa continuou a treinar por conta própria para manter a forma física. Mais tarde regressou a Londres para dar conta da sua intenção de sair, treinado com as reservas.

O objetivo do Atlético de Madrid passa por integrar o jogador de modo a que em janeiro, quando for possível efetivar a transferência, Diego Costa esteja pronto para ser opção a breve prazo, mesmo considerando a falta de ritmo competitivo. Vinculado ao Chelsea até 30 de junho de 2019, o “Daily Mail” escreve que a transferência do Chelsea para o Atlético de Madrid poderá se concretizar poa uma quantia fixa de 45 milhões de euros, em um negócio que pode ascender aos 55 milhões (+10) mediante o cumprimento de variáveis. Em janeiro, o Atlético está liberado para realizar novas inscrições e, caso a transferência de Diego Costa se confirme, será o segundo jogador a fechar com o Atlético de Madrid depois de Vitolo.

Perante as notícias que revelam a possibilidade de Diego Costa regressar, Enrique Cerezo, presidente do Atlético, afirmou “não saber de nada”, acrescentando que “até janeiro há muito tempo”.

Boas Apostas!