30 de abril de 2017. Em Arnhem, a data fica para a eternidade como o dia em que o Vitesse conquistou o primeiro grande troféu nacional e toda a sua história. A formação holandesa que veste de amarelo e negro ergueu a Copa da Holanda ao vencer o AZ Alkmaar na final.

Foto: "EPA"

Foto: “EPA”

Fundado em 1892, os maiores feitos do Vitesse até então correspondiam à conquistas de duas edições da segunda divisão holandesa. Na tarde de Roterdão, os homens de Henk Fraser escreveram a página mais brilhante da história de um clube centenário. Na banheira de Roterdão, estádio que se prepara para receber a festa de campeão do Feyenoord dentro em breve, o Vitesse levou a melhor sobre o AZ Alkmaar por duas bolas a zero e pôde soltar as celebrações. Perante mais de 45 mil nas bancadas, os dois gols apontados por Ricky van Wolfswinkel sentenciaram o desafio, marcando aos 36 do segundo tempo e aos 43. No primeiro lance, beneficiou de um erro do guardião Tim Krul (ex-Newcastle) e encontrou de cabeça para o gol, enquanto no segundo “driblou” sobre um adversário e atirou colocado para as redes.

Para chegar na decisão da KNVB Beker, Copa holandesa, o Vitesse teve que avançar cinco eliminatórias, sempre disputadas a um só jogo. O adversário mais ruim que o time de Arnhem encontrou pela frente foi o Feyenoord, presumível campeão que derrotou nas quartas por duas bolas a zero, o mesmo resultado que se viria a registar na final. Conhecido por sua boa relação com o Chelsea que permite ter vários atletas emprestados por parte dos londrinos, o Vitesse é uma jovem equipa recheada de bons valores. As presenças de Lewis Baker e do brasileiro Nathan no time de Arnhem comprovam a ligação aos “Blues”. Na Eredivisie, a duas jornadas do final, o Vitesse se situa na 6ª posição e está em lugar de acesso ao “play-off” que permite discutir a classificação para a Liga Europa, objetivo traçado no início da época. Com cinco pontos de avanço sobre o Heerenveen (8º), o Vitesse tem todas as condições para garantir seu lugar já na próxima rodada.

Na decisão da Copa da Holanda, é tradição que os dois times envolvidos sejam presenteados com robes, em sinal de congratulação. No final do desafio, os vencedores do troféu o ergueram com os robes vermelhos vestidos, contribuindo para um quadro  bizarro no mundo do futebol, bem à moda holandesa. Os habitantes de Arnhem vivem um sonho tornado realidade após verem seu time suceder ao Feyenoord na lista de detentores da Copa. O time de Roterdão, quase campeão, poderá ser o adversário do Vitesse na Supercopa 2017/18.

Boas Apostas!