O processo se arrastava desde agosto nas altas esferas do clube, prolongando o período de instável que o AC Milan atravessa há muito tempo. Esta quinta-feira, a venda a um grupo de investidores chineses foi finalmente consumada.

Foto: "China Daily"

Foto: “China Daily”

31 anos depois, chegou ao fim a era de Sílvio Berlusconi à frente do AC Milan. A venda do clube estava acordada desde agosto de 2016, mas vários pormenores foram adiando a concretização do acordo, oficialmente revelado esta quinta-feira, dia 13 de abril de 2017. O anúncio não apanhou ninguém de certeza, representando uma situação cada vez mais vulgar no futebol moderno. Vale lembrar que o Inter de Milão, eterno rival do AC Milan, também já é propriedade de um grupo de investidores chineses desde junho de 2016, altura em que o grupo Suning adquiriu 70 por cento dos direitos do clube.

No anúncio que deu conta do fim do processo, foram revelados os valores pagos pela Rossoneri Sportn Investment Lux à Finivest para a compra da totalidade das ações do AC Milan, que equivalem a 93,3 por cento do clube. O comunicado publicado pelo clube em seu site oficial revela que os valores pelos quais o negócio foi concretizado já tinham sido acordados em agosto entre as partes envolvidas. Assim, o grupo chefiado pelo chinês David Han Li investiu na totalidade cerca de 740 milhões em euros, incluindo dívidas avaliadas em 220 milhões. Na mesma nota, pode se ler que os compradores se comprometeram a investir com o intuito de equilibrar a situação económica e contribuir para o fortalecimento da situação financeira do AC Milan. Esta sexta-feira, haverá reunião para definir e votar nos novos corpos sociais que vão dirigir os clubes de agora em diante.

Derby della madonnina

Foto: "Reuters"

Foto: “Reuters”

Agendado para a manhã do próximo sábado (15 de abril), o “derby della madonnina” entre os rivais Inter de Milão e AC Milan ficará marcada como o primeiro desde que os dois clubes estão sob a alçada de grupos de investidores da China. Nessa temporada, os times que partilham o mesmo palco têm objetivo comum: Garantir a classificação para a Liga Europa. A ausências das competições europeias e das fases mais avançadas da Liga dos Campeões tem consequências devastadoras para os dois times, com a venda do AC Milan a ser solução para aliviar a débil situação financeira. Na primeira volta, o embate entre os dois times terminou com um empate a dois gols e os “ultras” do AC Milan exibiram um “tifo” em homenagem a Sílvio Berlusconi, com a figura do presidente junto de todos os troféus que conquistou à frente do clube. A venda do clube representa o culminar de um ciclo de três décadas e a torcida espera que a estabilidade seja reestabelecida no seio de um clube que tem andado afastado dos grandes títulos.

Boas Apostas!