Oscar, Hulk e Elkeson já têm treinador para a próxima temporada. Os brasileiros vão poder continuar a expressar-se na língua materna, dado que o português Vítor Pereira é o eleito para suceder ao compatriota André Villas-Boas.

Foto: "Twitter Shanghai SIPG"

Foto: “Twitter Shanghai SIPG”

A imagem do técnico português está cada vez mais bem cotada no mundo do futebol e prova disso é o investimento de clubes de diversas latitudes em treinador “lusos”. Após a saída de André Villas-Boas do Shanghai SIPG em uma decisão que partiu do próprio com o intuito de fazer um interregno na carreira para se dedicar ao automobilismo, os responsáveis do emblema chinês anunciaram a contratação de outro treinador de nacionalidade portuguesa: Vitor Pereira, treinador de 49 anos que estava no desemprego há algum tempo, após ter deixado os alemães do TSV Munchen 1860, clube que abandonou após a descida de divisão do segundo para o terceiro escalão germânico – a queda do emblema viria a ser ainda maior. para a quarta divisão, devido a questões financeiras.

André Villas-Boas esteve apenas um ano na China e não foi capaz de conquistar nenhum título. No plano interno, perdeu sempre para o Guangzhou Evergande de Luiz Felipe Scolari, tanto no campeonato – o Guangzhou detém a hegemonia daquele futebol já há alguns anos – como na final da Taça. Na Liga dos Campeões da Ásia, também não foi capaz de erguer o troféu apesar do forte investimento que permitiu ter atletas de nomeada no elenco como Hulk ou Óscar. A limitação da utilização de estrangeiros que vai entrar em vigor foi outro dos motivos que poderá ter desmotivado AVB, técnico que criticou isso publicamente à imagem do que já tinha feito na Rússia.

Agora, a próxima edição da Superliha chinesa será disputada sob a égide de Vitor Pereira. É a segunda vez que sucede a André Villas-Boas, algo que já tinha acontecido em Portugal no ano de 2011, quando AVB passou o testemunho a VP no comando técnico do FC Porto. Desde que abandonou o comando do time da chamada “cidade Invicta”, Vitor Pereira passou por vários projetos. Esteve na Arábia Saudita em 2013/14 ao serviço do Al-Ahli Jeddah, posteriormente orientou o time grego do Olympiakos (2014/15) e esteve época e meia nos turcos do Fenerbahçe, partindo posteriormente para uma aventura na 2. Bundesliga com o TSV Munchen 1860. Agora, regressa ao ativo após um interregno na carreira, se tornando no terceiro treinador português a comandar uma formação na Superliga chinesa 2018, uma vez que Paulo Sousa vai orientar o Tianjin Quanjian e Paulo Bento se prepara para orientar o Chongqing Lifan.

Boas Apostas!