O Shakhtar Donetsk é o novo campeão ucraniano, recuperando o ceptro após dois anos de conquistas do Dínamo de Kiev. Esta quarta-feira, os dois times se enfrentam na final da Copa da Ucrânia.

Shakhtar - DinamoO fenómeno não é exclusivo do Leste europeu, mas se assume particularmente evidente nesse território do continente. O avançar dos anos tem ficado marcado pela emancipação de emblemas fora das capitais, compensando o vazio histórico com o poder de avultados investimentos financeiros. O Shakhtar Donetsk na Ucrânia (como o Zenit na Rússia, por exemplo) sustenta esta ideia. Os “Hornyaki” têm dominado o futebol ucraniano a par do Dínamo de Kiev, time mais tradicional do país. Nesta temporada 2016/17 e sem contestação possível, o Shakhtar garantiu a conquista do título ucraniano, cumprindo seu objetivo com tranquilidade e construindo uma vantagem pontual interessante ainda antes da pausa de inverno. Na rodada 6 do “play-off” de apuramento do campeão, a quatro do fim da prova, o Shakhtar Donestsk garantiu a conquista do título com uma vitória sobre o Zorya por três a dois, o mesmo adversário que tinha defrontado no jogo do título em 2014, antes de o Dínamo de Kiev se tornar bicampeão da Ucrânia. O Shakhtar Donetsk conquistou o 10º título da sua história de uma forma bem meritória, atendendo ao facto de o time continuar a jogar longe da Donbass Arena e da sua área de origem, ocupada por separatistas pró-russos. Após a pausa de inverno, no início de 2017, a diretoria do clube entendeu se mudar em definitivo para o estádio do Metalist – clube que faliu -, em Kharkiv, cidade que vai receber a final da Copa nacional. Os brasileiros Ismaily, Fred, Alan Patrick, Dentinho, Marlos, Bernard e Taison participaram da conquista do Shakhtar.

Na primeira temporada do técnico português Paulo Fonseca ao leme, o time recuperou o título nacional, falhando na Europa ao ser eliminado na ronda dos 16 da Liga Europa pelo Celta de Vigo. Esta quarta-feira, Kharkiv recebe a final da Copa, com o Shakhtar a enfrentar o Dínamo de Kiev.

Dínamo tenta salvar a temporada

Destronado após duas épocas de sucesso, o Dínamo de Kiev também não foi bem na Liga dos Campeões e terminou na quarta posição da sua chave, abandonando as competições europeias de forma prematura. No campeonato, o time treinado por Serhiy Rebrov não apresentou capacidade suficiente para lutar pela revalidação do título. A Copa ucraniana poderá salvar a temporada do time, imerso em uma crise de resultados no que diz respeito ao confronto direto com o Shakhtar Donetsk. Se a temporada até começou com a conquista da Supercopa por parte do Dínamo de Kiev na decisão através da marcação de pênaltis, nos restantes três jogos já disputados, se registaram dois triunfos do Shakhtar (3-4; 0-1) e um empate (1-1). O time da capital ucraniana que até meio da temporada contou com os serviços dos brasileiros Danilo Silva (Internacional PA) e Junior Moraes (Tianjin Quanjian) não se superioriza ao principal rival no tempo regulamentar desde outubro de 2014, sendo que disputou nove encontros desde aí.

Boas Apostas!