A partir da próxima segunda-feira 12 de setembro, a tenista norte-americana Serena Williams não ocupará mais o posto de número 1 do tênis feminino mundial. Depois de ter sido eliminada na última quinta-feira (08) nas semifinais do US Open pela checa Karolína Plíšková, Serena aparecerá na vice-liderança da lista das maiores tenistas do mundo da atualidade, atrás apenas da alemã Angelique Kerber.

Serena Williams não é mais a número 1 do mundo depois de três anos e meio.

Serena Williams não é mais a número 1 do mundo depois de três anos e meio.

A tenista, que havia alcançado o topo do tênis feminino pela primeira vez em 2002, ocupou a primeira colocação do ranking da WTA pela sexta vez em fevereiro de 2013, ficando no topo por um longo tempo. Foram 186 semanas consecutivas de Serena Williams como nº 1 do mundo do tênis feminino, o equivalente a cerca de três anos e meio, se igualando ao recorde da lenda do tênis feminino Steffi Graf. A última vez que a norte-americana não apareceu no topo do ranking mundial foi no dia 17 de fevereiro de 2013, quando Victoria Azarenka ficou na primeira colocação.

Depois de ser eliminada na semifinal do US Open, Serena Williams evitou falar sobre a perda da primeira colocação. Quando perguntada sobre o assunto na coletiva de imprensa, não quis comentar o assunto. “Não falarei nada sobre o número um. Obrigada”.

Eliminada nas semifinais

Serena Williams cumprimentando Karolína Plíšková nas semifinais do US Open.

Serena Williams cumprimentando Karolína Plíšková nas semifinais do US Open.

Serena Williams chegou as semifinais do US Open, último Grand Slam do ano, sem perder nenhum set, vencendo por 2 sets a 0 todas as adversárias: a russa Ekaterina Makarova, a norte-americana Vania King, a sueca Johanna Larsson, a cazaquistanesa Yaroslava Shvedova e a romena Simona Halep. Chegando às semifinais, Serena enfrentou a checa Karolína Plíšková, atual décima primeira no ranking mundial feminino, e acabou sendo derrotada por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 7/6 (7/5) em cerca de 1h30m.

Logo no primeiro set, a checa Karolína Plíšková mostrou-se agressiva, fazendo ótimos saques, buscando encurtas os pontos e não dando chances de trocas com Serena. Para provar isso, é só olhar os números do primeiro set, foram 4 aces contra a 2 e 10 winners contra 5, ambos a favor de Plíšková. Com isso, a checa confirmou o seu serviço e ainda aproveitou o rendimento baixo da norte-americana, conseguindo duas quebras no terceiro e sétimo games. No fim, Plíšková terminou o primeiro set com uma vitória por 6/2 em apenas 28 minutos. No segundo set, a checa conseguiu um break point, porém, Serena acabou confirmando seu serviço. Na sequência, Plíšková venceu o quinto game e abriu 3/2 a seu favor. Aproveitando o game ruim de Plíšková, Serena venceu o game seguinte e empatou o set. A partir daí, a partida ficou mais equilibrada e foi para o tie-break, que foi vencido pela checa por Karolína Plíšková por 7/5, dando a classificação para a checa e tirando uma das melhores tenistas do mundo da final do US Open.

Números de Serena

Serena Williams bateu o recorde de semanas como nº 1 do ranking mundial.

Serena Williams bateu o recorde de semanas como nº 1 do ranking mundial.

Agora que Serena Williams não é mais a número 1 do ranking feminino mundial, mostraremos alguns números que justificam os três anos e meios do reinado de Serena. Somando todas as vezes que a norte-americana esteve no topo durante sua carreira, foram 306 semanas de Serena Williams na liderança do ranking de tênis feminino mundial. A norte-americana alcançou o topo em seis oportunidades, incluindo a última. Com todas essas semanas, Williams tornou-se a terceira tenista com mais tempo na liderança do ranking mundial, atrás apenas de Martina Navratilova com 332 semanas e Steffi Graf com 377 semanas como número 1 do mundo.

Além disso, Serena é, ao lado de Steffi Graf, a tenista que há mais semanas consecutivas esteve na primeira colocação do ranking mundial da WTA, ocupando a colocação por 186 semanas seguidas, ou seja, 1301 dias ou 31,224 horas. Durante todas essas semanas que esteve na liderança, Serena conquistou incríveis 209 vitórias e apenas 19 derrotas, conseguindo um aproveitamento de nada mais nada menos que 91,6% nas partidas disputadas nas últimas 186 semanas. Considerando os jogos contra tenistas do Top 10, Serena venceu 43 das 48 partidas que realizou contra algumas das dez melhores tenistas da atualidade, resultando em um aproveitamento de 89,6%. Apenas Angelique Kerber, atual nº 1, Garbiñe Muguruze, Petra Kvitova e Victoria Azarenka (duas vezes) conseguiram vencer Serena Williams durante o tempo que a norte-americana ficou na primeira colocação do tênis feminino.

Tratando-se de títulos, a norte-americana também tem números muito positivos. Foram 24 taças levantadas por Serena durante o tempo que foi nº 1, número superior ao de derrotas em finais, foram 19. Além disso, Serena Williams conseguiu aparecer 15 vezes como cabeça de chave número 1 nos Majors que foram disputados desde fevereiro de 2013, quando a tenista voltou ao topo, e desde então venceu um pouco menos que metade, foram sete títulos de Grand Slam conquistados por Serena (Australian Open (2015), Roland Garros (2013 e 2015), Wimbledon (2015 e 2016) e US Open (2013 e 2014).

Boas Apostas!