Na Copa América de 2015, as seleções da Argentina e Chile realizaram uma final eletrizante, que contou com um gol perdido por Higuaín no fim da prorrogação e com o mesmo atacante argentino perdendo um pênalti na disputa das penalidades, o que acabou resultando no título chileno daquela edição da competição, realizada justamente no Chile. Passado um ano, parte do público que acompanhava a Copa América Centenário acreditava que a final de 2016 poderia ser entre a Argentina e o Uruguai, que tinha Cavani e Suárez como esperança de gols. Já outros torcedores acreditavam na possibilidade de uma reprise da final de 2015, entre Argentina e Chile. Ambas as possibilidades tinham fortes argumentos, já que a seleção uruguaia pode ter hoje um dos melhores elencos em sua seleção, com nomes fortes como o goleiro Muslera, o zagueiro Godín e claro, os atacantes Cavani e Luis Suárez. Enquanto o lado que defendia uma final entre Chile e Argentina lembrava o grande elenco chileno, que hoje é considerado o mais vitorioso da história. Além é claro, do grande favoritismo argentino presente em ambas as possibilidades.

Messi depois de perder o pênalti na final contra o Chile da Copa América Centenário.

Messi depois de perder o pênalti na final contra o Chile da Copa América Centenário.

Logo na primeira fase da competição continental as seleções de Chile e Argentina, que depois acabaram realizando a grande final, fizeram sua estreia enfrentando-se, na primeira rodada da fase de grupos, em uma partida que terminou com a vitória argentina por 2×1. Ao fim da fase de grupos, os argentinos terminaram na primeira colocação do Grupo D, enquanto o Chile terminou na segunda colocação. Na fase seguinte, a Argentina enfrentou a Venezuela, conseguindo aplicar uma goleada de 4×1. Ao chegar às semifinais, a seleção argentina venceu os anfitriões, Estados Unidos, por 4×0 com um golaço de falta marcado por Lionel Messi. Na grande final, entre Argentina e Chile. Apesar dos grandes astros dentro do gramado, Messi, Vargas, Sanchez, Higuaín, ninguém conseguiu marcar um gol durante o tempo normal e a prorrogação, repetindo a final da Copa América de 2015. Já nas disputas de pênaltis, os dois primeiros batedores, os astros de ambas as seleções, acabaram perdendo as cobranças, Vidal teve seu pênalti defendido por Romero e Lionel Messi isolou a bola. Na sequência, a seleção argentina converteu dois pênaltis, enquanto o Chile converteu três, conquistando o bicampeonato da Copa América.

7 finais e nenhum título

Messi depois de perder o título da Copa América de 2015 para o Chile.

Messi depois de perder o título da Copa América de 2015 para o Chile.

Mesmo com uma geração repleta de astros, com grandes jogadores que se destacam em seus respectivos clubes, a Argentina não vem conseguindo o mais importante na história de qualquer seleção, títulos.  Desde 1993, quando os argentinos conquistaram a Copa América daquele ano vencendo o México por 2×1, a seleção argentina chegou a sete finais, mas não conseguiu vencer nenhuma.

A primeira derrota da Argentina em uma final após o título de 1993 foi na Copa Rei Fahd de 1995 (antiga Copa das Confederações), disputada na Arábia Saudita. Depois de terminar a fase de grupos na primeira colocação, a Argentina disputou a final contra a Dinamarca e mesmo com Gabriel Batistuta do lado argentino, acabou perdendo por 2×0. Já na Copa América de 2004, disputada no Peru, a Argentina terminou a fase de grupos na vice-liderança do Grupo B, mas depois de passar por Peru e Colômbia, acabou perdendo a final contra o Brasil na disputa por pênaltis por 2×4, com o ex-jogador do Internacional, D’Alessandro, perdendo uma das penalidades. No ano seguinte, mais uma derrota para o Brasil, desta vez na final da Copa das Confederações, disputada na Alemanha. A seleção argentina terminou a fase de grupos na segunda colocação do Grupo A e na final, novamente contra o Brasil, perdeu por 4×1, com direito a gols de Adriano, Kaká e Ronaldinho Gaúcho. Na Copa América de 2007, realizada na Venezuela, a Argentina perdeu sua terceira final consecutiva para o Brasil. Terminando a fase de grupos na liderança do Grupo C e passando por Peru e México nas eliminatórias, a Argentina chegou a mais uma final contra o Brasil e o resultado acabou sendo o mesmo, título para a seleção canarinho com uma vitória por 3×0.

Na Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, a Argentina terminou a fase de grupos na liderança do Grupo F e passou por cima de Suíça, Bélgica e Holanda até chegar a grande final contra a forte Alemanha. Em uma partida equilibrada, onde o atacante Higuaín perdeu a oportunidade de dar o título mundial aos argentinos ao perder um gol claro ainda no primeiro tempo da final. A partida foi para a prorrogação, o primeiro tempo da prorrogação acabou em  0x0, já no segundo tempo da prorrogação, o atacante alemão Mario Gotze marcou o gol nos minutos finais e deu o título a Alemanha. Enfim, como já citamos, depois de todas estas finais sem títulos, a Argentina ainda perdeu mais dois títulos da Copa América nos últimos dois anos, ambos para a seleção chilena e nos pênaltis.

Boas Apostas!