Espanha – Alemanha. Está definida a final do Euro sub-21 2017, competição cuja decisão vai ser jogada na próxima sexta-feira, em Cracóvia. Saul Ñíguez apontou um “hat-trick” à Itália de Donnarumma e apontou o caminho para a final. Os germânicos fizeram jus à velha máxima – “e no final, ganha a Alemanha” – e garantiram presença na final ao derrotarem a Inglaterra nos pênaltis.

Better call Saul

Foto: "Getty Images Europe"

Foto: “Getty Images Europe”

O título do seriado norte-americano produzido para a Netflix se aplica na perfeição à semifinal entre Espanha e Itália. Saul Ñíguez, meia do Atlético de Madrid, foi a grande estrela da noite ao apontar os três gols da vitória espanhola sobre a Itália por três a uma.

O encontro entre Espanha e Itália obedeceu a um guião típico de semifinal. As duas formações se estudaram durante os primeiros 45 minutos e as ocasiões foram escassas, apesar do domínio da seleção espanhola. Faltava rasgo individual à “La Rojita” para desequilibrar a questão e foi isso que acabou por acontecer no segundo tempo. O gol é de Saúl Ñíguez, mas o mérito foi muito de Dani Ceballos, jovem meia que serviu o colega de equipe para o primeiro gol da noite, batendo “Gigi” Donnarumma, goleiro que aparentemente está a reconsiderar a sua situação e poderá aceitar negociar a prorrogação do contrato com o AC Milan.

O primeiro gol da noite se adequava à realidade da partida, beneficiando quem mais fez por inaugurar o marcador. A situação não estava favorável à Itália e pior ficou quando aos  13 minutos do segundo tempo Gagliardini terminou expulso por acumulação de cartões amarelos. Passados quatro minutos, Fede Bernardeschi atirou de longe para o golo italiano, ficando a sensação de que o goleiro Kepa Arrizabalga não viu a bola partir dos pés do jogador que nesse verão poderá se transferir da Fiorentina para a Juventus. Volvido um minuto, de quase forma instantânea, Saúl Ñíguez foi servido por Deulofeu em zona frontal e atirou forte, sem hipótese de defesa para Donnarumma. As contas ficaram encerradas aos 29 da segunda etapa, novamente por Saúl Ñíguez, se convertendo no herói da seleção orientada por Albert Celades e, muito provavelmente, garantindo o galardão de melhor jogador desse Euro sub-21. Uma final é sempre uma final, mas com o nível que tem vindo a apresenta, a seleção espanhola dificilmente deixará escapar mais um título de campeã da Europa de sub-21.

E no final ganha a Alemanha…

A mentalidade dos jogadores alemães esteve a toda a prova na semifinal do Euro sub-21 2017. Frente à Inglaterra, a seleção alemã passou para a frente do marcador graças a um gol de Davie Selke aos 35 minutos. Demarai Gray, promissor jogador do Leicester, estabeleceu o empate ainda antes do intervalo.

No início segundo tempo, Tammy Abraham deu vantagem aos ingleses pela primeira vez no desafio, mas os alemães não se deixaram ir abaixo e responderam por Felix Platte, atacante de 21 anos que colocou o marcador em dois a dois, resultado que se verificaria no final dos 90 minutos.

Nos 30 minutos de prorrogação, houve mais Alemanha que Inglaterra e perigo rondou bem mais a baliza defendida por Jordam Pickford que a de Julian Pollersbeck. A decisão ficou adiada para as grandes penalidades. Gerhardt e Abraham, chamados à responsabilidade para converterem os pênaltis das suas seleções falharam. A série prosseguiu até à quinta ronda, derradeira do ciclo regular. Chegados a esse ponto, Redmond falhou e o acesso alemão ficou nas mãos de Julian Pollersbeck, goleiro do Kaiserlautern. Mesmo sem alguns elementos importantes que estão na Copa das Confederações ao serviço da seleção principal.

Boas Apostas!