A filosofia de Cristiano Ronaldo obedece à velha máxima: os recordes existem para serem batidos. O internacional português brilhou na partida de ida das quartas da Liga dos Campeões, em Turim, frente à Juventus e bateu mais um recorde.

Foto: Tony Gentile/Reuters

Foto: Tony Gentile/Reuters

O Juventus Stadium, em Turim, acolheu a partida de ida das quartas da Liga dos Campeões entre a Juventus e o Real Madrid. A hexacampeã italiana o campão espanhol se enfrentavam em uma reedição da final da última edição da prova, disputada em Cardiff.

Cristiano Ronaldo entrava em cena com o objetivo de ajudar o Real Madrid e, com isso, bater mais um recorde: máximo de jogos consecutivos a marcar na Liga dos Campeões. Quatro minutos foram suficientes para Cristiano Ronaldo destronar Ruud Van Nistelrooy, atacante holandês que possuía o anterior recorde, nove jogos. O recorde alcançado por Ruud havia sido estabelecido em 2002/03.

Ainda alguns torcedores se sentavam nos respetivos lugares em Turim quando Cristiano Ronaldo desviou para o gol, justificando aquilo que “Gigi” Buffon tinha admitido na véspera: que perdia o sono cada vez que se preparava para enfrentar o astro português. O Real alcançava vantagem bem cedo e cumpria um dos seus objetivos para o desafio: marcar fora de portas, no terreno da adversária.

Segundo gol de sonho

Se o primeiro gol fica para a história em função de ter assinalado a queda do recorde, o segundo tento da noite fica nos anais da Liga dos Campeões como um dos mais belos, se assumindo inclusive como um forte candidato à premiação de gol do ano. Cristiano Ronaldo se ergueu a mais de um metro de altura e, de bicicleta, marcou o segundo gol do Real Madrid em Turim, deixando a Juve em muito maus lençóis. O momento foi de tal forma belo que a torcida juventina se levantou dos lugares para aplaudir Cristiano Ronaldo de pé, em um momento que foi uma autêntica ode ao futebol.

No entanto, apesar do momento de “fair-play”, os “tiffosi” do time da casa não teriam nenhuns motivos para sorrir. Frente ao emblema diante do qual perderam a última edição da Liga dos Campeões, sairiam novamente derrotados e por três a zero, graças a um tento de Marcelo com… assistência de Ronaldo. Faro de Champions. Esse Real Madrid, já arredado da luta pelo título espanhol mas com um pé nas semis da Liga dos Campeões, é um autêntico fenômeno. O acesso está praticamente assegurado, restando saber quem se segue no caminho dos “merengues”, ainda que falte disputar a partida de volta no Bernabéu.

Boas Apostas!