Quando falamos de futebol argentino, todos sabemos que trata-se de um bom futebol, qualidade, habilidade, raça e tradição, ainda mais quando se trata de futebol olímpico, já que a Argentina é bicampeã olímpica.

Argentina campeã olímpica de 2008.

Argentina campeã olímpica de 2008.

Nos últimos quinze anos, a Argentina tem sido referência neste sentido, já que foi campeã em 2004 nos jogos olímpicos de Atenas na Grécia, derrotando o Paraguai na final por 1×0. Em 2004, a equipe olímpica de futebol da Argentina contava com craques como: Mascherano, D’Alessandro, Delgado, Saviola, Carlos Tévez entre outros, não foi a toa que conquistaram sua primeira medalha olímpica.

Em 2008, venceram a final de Pequim sobre a Nigéria por 1×0, esta final teve um gosto ainda mais doce, já que a Argentina tinha perdido a final dos jogos olímpicos de Atlanta em 1996 para a Nigéria por 3×2. Em Pequim, a Argentina conseguiria se tornar campeã olímpica novamente, mostrando sua nova safra de jogadores que contava com craques como: Zabaleta, Fernando Gago, Sosa, Lavezzi, Riquelme, Di Maria, Mascherano, Messi, Aguero entre outros. A Argentina mostrava uma supremacia, sendo bicampeã olímpica consecutiva.

Eliminação precoce nas olimpíadas do Rio 2016

Gol de pênalti de Lozano para Honduras.

Gol de pênalti de Lozano para Honduras.

Todos esperávamos mais da equipe olímpica que veio disputar os jogos olímpicos do Rio 2016. Com uma tradição de duas conquistas olímpicas recentes, uma em 2004 e outra em 2008, a desclassificação na fase de grupos foi surpreendente. A Argentina ficou no Grupo D, juntamente com Portugal, Honduras e Argélia. Após perder por 2×0 para Portugal na estreia, a Argentina venceu a Argélia por 2×1. A Argentina chegou no terceiro jogo precisando vencer a seleção de Honduras, pois tinha um gol a menos do que Honduras no saldo de gols. Em um jogo surpreendente onde tivemos dois pênaltis perdidos, um para cada lado. Depois de várias chances de gol perdidas, inclusive com um pênalti nos acréscimos do primeiro tempo 45’+6’ pelo time de Honduras pelo meia Bryan Ramos, que bateu e o goleiro Gerónimo Rulli defendeu. Os times voltaram para o segundo tempo criando novas chances só que sem conseguir concluir em gol. Logo aos 10’ do segundo tempo, foi a vez da Argentina perder um pênalti, desta vez foi Correa que chutou na trave, perdendo a cobrança. Novamente tivemos um pênalti na partida, aos 30’ Lozano abriu o placar para Honduras. A Argentina ainda conseguiria marcar nos acréscimos 90’+3’, porém o jogo acabou empatado em 1×1 e a Argentina eliminada por saldo de gols, exatamente um gol a menos que Honduras.

Momento complicado do futebol argentino

Copa América de 1993, último título da seleção principal da Argentina.

Copa América de 1993, último título da seleção principal da Argentina.

Sim, os Hermanos passam por um momento futebolístico complicado, com sua seleção principal não ganhando títulos a 23 anos. Para podermos recordar o longo jejum dos Hermanos, temos que voltar a Copa América de 1993 no Equador, quando a Argentina foi campeã sobre o México com dois gols do centroavante Batistuta na vitória por 2×1. Após esta conquista, foram várias finais sem conquistar título, vamos rever quais foram estes trágicos vice-campeonatos da seleção argentina.  O primeiro vice-campeonato após aquela Copa América d e1993 viria na Copa das Confederações de 1995, quando a Argentina perderia a final para a Dinamarca por 2×0. Depois a Argentina seria vice-campeã da Copa América de 2004, quando disputou com o Brasil e empatou por 2×2 e perdeu nos pênaltis por 4×2, com D’Alessandro perdendo um dos pênaltis. Em 2005, seria vice-campeão da Copa das Confederações perdendo para o Brasil novamente, desta vez no tempo normal por 4×1, com dois gols de Adriano, um de Kaká e um de Ronaldinho, o Argentino Aimar fez o gol de honra. Em 2007, a Argentina perderia mais uma final para o Brasil, na final da Copa América de 2007, o Brasil desta vez fez 3×0 na final, com gols de Júlio Baptista, Ayala (gol contra) e Daniel Alves.

Gol de Mario Gotze, final da Copa do Mundo de 2014.

Gol de Mario Gotze, final da Copa do Mundo de 2014.

Os Argentinos demoraram para se recuperar destas três finais consecutivas perdidas para seu maior rival, o Brasil. Porém a Argentina montaria novamente uma seleção forte e chegava o momento de mostrar para o mundo que sua seleção era forte novamente, o palco seria a Copa do Mundo do Brasil, em 2014, sete anos após sua última final perdida. Com uma seleção que contava com o melhor do mundo, Lionel Messi, além de grandes jogadores como Zabaleta, Rojo, Mascherano, Di Maria, Aguero, Higuaín entre outros, a seleção Argentina chegou a final, porém encarou uma pedreira, a seleção da Alemanha que havia goleado o Brasil por 1×7. Após conseguir segurar o resultado em 0x0 até o segundo tempo da prorrogação, Mario Gotze fez o gol da Alemanha e deixou a Argentina mais uma vez com o vice-campeonato.

A Argentina seguia com a sina de não conseguir levantar um troféu com a seleção principal e foi em busca da conquista da Copa América, sabendo o momento delicado que o futebol brasileiro passava, teria grandes chances de ser campeã da América. Mas ela não sabia que uma outra grande potência do futebol sul-americano estava se levantando, o Chile. Após uma bela campanha na Copa América de 2015 que foi disputada no Chile, a Argentina enfrentaria os anfitriões na grande final, seria a chance de ser campeã novamente, mas o jogo acabou empatado em 0x0 e a Argentina perdeu nos pênaltis por 4×1, Banega e Higuaín perderam os pênaltis e a Argentina era vice-campeã mais uma vez. Se não bastasse isso, no ano de 2016, teríamos a Copa América Centenário nos Estados Unidos e novamente os finalistas eram o Chile e a Argentina. Novamente, após um 0x0 o jogo foi para os pênaltis e contando com um pênalti perdido pelo melhor do mundo Messi, a Argentina mais uma vez se tornou vice-campeã. Este calvário já dura 23 anos e agora com esta desclassificação da seleção olímpica, fica confirmado que o momento do futebol argentino não é bom, resta saber quando a Argentina conseguirá ser campeã novamente.

Boas Apostas!