Eduardo Berizzo já não é treinador do Sevilha. A demissão do argentino foi anunciada ao final da tarde de sexta-feira (22) após uma reunião com a diretoria do clube que durou cerca de duas horas. Segundo o jornal “Marca”, Javi Gracia é o favorito à sucessão.

Foto: "AFP"

Foto: “AFP”

A negatividade dos resultados que o Sevilha tem somado nessa primeira metade da temporada é o grande motivo para a demissão de Eduardo Berizzo, técnico que tinha chegado à Andaluzia no início dessa época após três temporadas ao serviço do Celta de Vigo, emblema que guiou até às semis da última edição da Liga Europa.

A temporada não tem sido fácil no Sánchez Pizjuán, sobretudo para o técnico agora demitido. Berizzo tem um cancro na próstata e esteve inclusive afstado das sessões de treino do elenco principal durante algumas semanas, deixando o time aos cuidados do técnico adjunto. Retornou ao banco de reservas no empate sem gols na receção ao Levante (0-0) e também esteve na mais recente derrotado em San Sebastián, frente à Real Sociedad (3-1). O fato de o clube ter afastado o técnico atendendo à sua debilidade de saúde está a suscitar algum pôlémica, mas o que é certo que é Berizzo já não está ao leme do time que guiou às oitavas da Liga dos Campeões e deixou no 5º posto da tabela classificativa do campeonato espanhol. Uma vez que o técnico tinha contrato válido por mais três anos, as duas partes chegaram a acordo para o pagamento do primeiro ano na totalidade como acordo de rescisão.

Na nota em que anuncia o despedimento de Berizzo – o primeiro realizado pela diretoria do clube desde 2013 -, o Sevilha informa igualmente que já está em conversações para garantir um substituto cuja contratação deverá ser anunciada nos próximos dias, ainda durante a quadra natalícia. Segundo o jornal “Marca”, a opção poderá passar por aquele que é um “namoro antigo” dos responsáveis do clube do sul de Espanha: Javi Gracia.

O técnico que ficou bem cotado em Espanha pelos bons trabalhos desenvolvidos tanto à frente do Osasuna como do Málaga está no desemprego após ter deixado os russos do Rubin Kazan, emblema que tinha efetuado um investimento considerável no reforço do elenco, cedendo às exigências de Gracia. A verdade é que o projeto no Leste da Europa fracassou e Javi Gracia acabou deixando o clube sem glória, podendo agora estar de regresso ao país de origem e logo para orientar um emblema com grandes aspirações, naquele que, a confirmar-se, será o maior desafio da sua carreira. Nesse momento, é a primeira opção da diretoria do clube.

Boas apostas!