Arranca a segunda edição da mais recente competição no calendário do futebol brasileiro. A Primeira Liga 2017 começa esta terça-feira no estádio municipal de Juiz de Fora com um encontro entre o Fluminense (atual detentor do título) e o Criciúma. 16 times, divididos em grupos de quatro, brigam pela conquista do troféu.

Primeira LigaA realização da Primeira Liga 2017 representa mais um passo na credibilização do troféu. Este ano, a prova criada por causa de divergência entre clubes e Confederação Brasileira de Futebol vai contar com a participação de seis times que não estiveram presentes na última edição. Brasil de Pelotas, Ceará (clube nordestino convidado), Chapecoense, Joinville, Londrina e Paraná vão a jogo. Depois de ter reunido 12 times em sua primeira edição, a Primeira Liga vai ter mais quatro concorrentes nesse ano. Resultado de um esforço comum dos clubes, a verdade é que a nova edição não vai contar com dois times que contribuíram para a fundação do troféu: O Atlético Paranaense – finalista da primeira edição – e o Coritiba abdicaram de participar por desacordo na divisão das cotas de transmissão das partidas, situação que representa mais um contra na afirmação da prova no calendário brasileiro. A nível das transmissões, importa referir que também houve uma mudança a esse nível. Este ano, a fase a eliminar será disputada apenas no segundo semestre da temporada e sua calendarização não é inocente. A disputa vai coincidir com as datas FIFA e o diretor-executivo da competição, José Rodrigo Sabino, refere que a medida foi tomada  a pensar nas televisões (e suas receitas), para que possam transmitir futebol enquanto as seleções estiveram a preparar as eliminatórias para o Mundial 2018. Uma vez que as partidas serão disputadas no segundo turno da temporada, os responsáveis esperam que as equipas consigam dar melhor espetáculo numa fase em que estão bem mais preparadas fisicamente que nesta etapa ainda bem prematura.

Alteração no formato

Se a primeira edição foi disputada por 12 times divididos em três grupos de quatro – apuravam-se os três primeiros e o melhor segundo -, desta vez, o formato competitivo vai ter diferenças. O modelo de competição vai ser bem a cara da Liga dos Campeões da Europa: Quatro grupos com quatro times e os dois primeiros avançam para a disputa das quartas. Cenário interessante para as equipas brasileiras realizarem os primeiros testes mais sérios tendo em vista a temporada que se avizinha, antes de estrear no Estadual.

No grupo A, o Fluminense é cabeça de chave e o único time que está no primeiro escalão brasileiro, uma vez que o Internacional de Porto Alegre vai disputar a Série B nessa temporada – ambos chegaram nas meias da prova em 2016. A chave fica completa por outros dois times do segundo escalão: Brasil de Pelotas e Criciúma. O “Tricolor” dá o pontapé de saída na prova já nessa terça-feira, 21h30 (horário de Brasília) frente ao Criciúma.

O grupo B tem tudo para ser bem competitivo. Flamengo e Grêmio são os principais candidatos ao acesso às quartas, mas vão ter que enfrentar o Ceará, time que se costuma dar bem nas Copas e o América Mineiro, despromovido à Série B. O “Vozão” vai disputar dois dos três jogos fora de casa e essa é uma situação que poderá complicar sua briga pela próxima fase. O Flamengo defrontará o Grêmio como mandante logo na primeira rodada.

A Chapecoense volta oficialmente à ação na estreia na Primeira Liga 2017 com uma partida na Arena Condá frente ao Joinville. Os rivais Atlético Mineiro e Cruzeiro fecham a chave e prometem um duelo bem quente logo na primeira rodada, disputado no Mineirão.

Avaí, Figueirense, Londrina e Paraná compõem o grupo D, único sem times que vão disputar o Brasileirão nessa temporada. O Figueira, time que na última época disputou o Brasileirão, se esforçará por se impor aos novos rivais de competição. Se há grupo que se destaque pelo equilíbrio, esse é o D.

Boas Apostas!