O holandês Peter Bosz é o senhor que segue na liderança do Borussia Dortmund. A contratação do novo técnico foi oficializada esta terça-feira pelo clube através das redes sociais.

O ciclo de Thomas Tuchel à frente do Borussia Dortmund durou apenas duas temporadas. O sucessor de Jurgen Klopp abandonou o Westfalenstadion no final da temporada 2016/17, em conflito com a diretoria do time. Para suceder ao jovem técnico alemão, os responsáveis do time que veste de amarelo e negro encontraram em Peter Bosz o perfil ideal para a chefia do time. Seduzido pela oportunidade de orientar uma das principais formações da Bundesliga, assinou um contrato válido por duas temporadas, até 2019.

Quem é Peter Bosz?

Foto: "Getty Images"

Foto: “Getty Images”

Se esteve atento à temporada europeia, certamente acompanhou o percurso do Ajax na Liga Europa. 21 anos depois, o time de Amesterdão voltou a garantir presença em uma final europeia, liderado precisamente por Peter Bosz.

Nascido em Apeldoorn há 53 anos atrás, enquanto jogador, Peter Bosz foi um volante internacional pela Holanda que obteve seu maiores sucessos em Roterdão, ao serviço do Feyenoord. Encerrou sua carreira em 1999 nos japoneses do JEF United, dando início ao trajeto como treinador seguinte no AGOVV Apeldoorn, emblema da sua localidade. Orientou o De Graafschap e o Heracles Almelo, porém, foi no Vitesse que seu trabalho pegou destaque, seguindo para o time israelense do Maccabi Tel Aviv a convite de Jordi Cruyff, diretor esportivo do time e filho do mítico Johan Cruyff, muito admirado por Peter Bosz.

Adepto da escola holandesa, regressou ao seu país para encarar a temporada 2016/17 ao leme do Ajax e devolveu o brilhantismo europeu a um “gigante adormecido” no panorama europeu. O título holandês fugiu pelo segundo ano consecutivo, desta feita para o Feyenoord, mas os “Godenzonen” voltaram a dar um “ar da sua graça” nas competições europeias ao alcançarem a final da Liga Europa, perdida para o Manchester United de José Mourinho por dois a zero.

Adepto do estilo ofensivo típico da escola holandesa, Peter Bozs sabe que esse foi um dos fatores que levou o Borussia Dortmund a investir em si e pretende que as bancadas do Westfalenstadion voltem a desfrutar de boas exibições e, de preferência, muitas vitórias. A capacidade de catapultar uma equipa tão jovem quanto o Ajax para o sucesso foi outro motivo que suscitou interesse nos seus serviços. Em Dortmund, a exigência vai disparar e Peter Bosz sabe que se prepara para encarar o maior desafio da carreira, mas beneficiará de condições (nomeadamente em termos de constituição do plantel) das quais nunca usufrui ao longo da sua carreira de treinador. A Liga dos Campeões não vai ser um contexto novo para o treinador, uma vez que disputou a fase de grupos da competição em 2015/16 com o Maccabi Tel Aviv – zero pontos conquistados em seis jogos – e também esteve envolvido na fase preliminar da última edição da competição, com o Ajax, eliminado no “play-off” pelo FK Rostov.

Boas Apostas!