Euforia total e muitas lágrimas de emoção. 36 anos depois, a seleção peruana está de regresso à fase final de uma Copa do Mundo, completando o lote de apurados para a fase final do Rússia 2018. A seleção sul-americana liderada por Ricardo Gareca carimbou seu passaporte para a prova ao derrotar a Nova Zelândia (2-0) na partida de volta do “play-off” de acesso.

PeruO apito final do juiz francês Clément Turpin assinalou o fim de um trajeto de apuramento que durou mais de dois anos. O primeiro jogo dessa fase de classificação para a Copa do Mundo 2018 aconteceu em março de 2015, em Dili, Timor-Leste, e terminou nessa quarta-feira (15), em Lima. A seleção do Perú foi a última a assegurar o apuramento para a fase final da competição ao levar a melhor no derradeiro “play-off” diante da Nova Zelândia, campeã e representante da zona OFC.

Após um empate sem gols na partida de ida disputada na Oceânia, o Peru confirmou todo o seu favoritismo nesse desafio decisivo, disputado em um estádio nacional de Lima que esteve repleto de fervorosos torcedores que não se cansaram de incentivar a sua seleção. Nas ruas da capital, a população saiu à rua para assistir à partida em vários ecrãs gigantes colocados para o efeito. O primeiro grande momento da noite aconteceu aos 28 do primeiro tempo, altura em que Christian Cueva, jogador do São Paulo, assistiu Jefferson Farfán para o primeiro gol da partida. Em lágrimas durante a celebração do gol, Farfán ergueu a camisa 9 pertencente a Paolo Guerrero, atacante proibido de atuar pela FIFA devido a um alegado teste positivo no controlo anti doping. Em um jogo de sentido único, foi uma questão de tempo até os donos da casa dilatarem a vantagem. Aos 20 do segundo tempo, Christian Ramos fez o gol que permitiu acalmar as palpitações dos corações “blanquirrojos”.

O povo peruano está em festa e, dentro de menos de um ano, poderá desfrutar ao ver a sua seleção em uma fase final da Copa do Mundo, algo que não acontece desde o Espanha 1982. Após oito insucessos em etapas de apuramento, os peruanos asseguraram o acesso à quinta edição da prova em toda sua história.

Ricardo Gareca vai continuar

30 de junho de 1985. Se disputava a última rodada do grupo 1 da zona sul-americana de apuramento para a Copa do México. Ao minuto 81, Ricardo Gareca, internacional argentino, fez o gol que empatou a partida diante do Perú (2-2), colocando um ponto final na possibilidade de o time “blanquirrojo” chegar na fase final de uma Copa do Mundo em que a “albiceleste” se viria a sagrar campeã com a bênção de Diego Armando Maradona. Era o primeiro de oito falhanços consecutivos em etapas de apuramento para a Copa do Mundo.

Ironia do destino, volvidas mais de três décadas, é Ricardo Gareca quem devolve o time peruano à fase final da competição. Após um início de campanha de apuramento para a Copa do Mundo bem turbulento, o homem que ocupa o cargo de seleccionador peruano desde 2015 conquistou a simpatia do povo, também por conta dos desempenhos positivos em duas fases finais da Copa América. Em 2015, o Perú terminou sua prestação no terceiro posto da prova. Já em 2016, na edição centenária, o Perú se ficou pelas quartas, etapa do certame em que foi eliminado pela Colômbia na decisão através da marcação de grandes penalidades. Na coletiva de imprensa após essa segunda partida com a Nova Zelândia, o próprio confirmou que orientará a seleção do Perú na Copa do Mundo 2018.

Boas Apostas!