Agora é oficial: Pachequinho vai orientar o Coritiba até final do campeonato Paranaense. O anúncio foi feito pela diretoria do clube na noite de quinta-feira, pela voz do presidente Rogério Bacellar.

PachequinhoConsumada a saída de Paulo César Carpegiani do comando do Coritiba, a comissão técnica permanente do Coritiba assumiu o comando, orientando o time no “Atletiba” que culminou com vitória do “Furacão”. Pachequinho, um “homem da casa”, passou de interino a treinador efeito nessa quinta-feira, numa situação que foi confirmada pelo próprio presidente do clube:”Iremos manter o Pachequinho e a comissão permanente do clube no comando da equipe até a definição do novo treinador. Faremos isso com a devida responsabilidade, mas sem tomar decisões precipitadas. Ainda não há o que falar, não iremos especular ou criar expectativas. Os pares da diretoria e o presidente do Conselho Deliberativo estão envolvidos para que seja uma decisão colegiada e assim que fecharmos algo farei o anúncio em nossos canais oficiais e será marcada uma coletiva”, afirmou. Vale recordar que Pachequinho orientou o Coritiba na última temporada, em etapas de transição entre treinadores.

A menos que o trajeto no campeonato Paranaense corra de forma excecional, a ideia da diretoria do Coritiba passa por contratar um novo técnico para abordar o Brasileirão. Para já, numa fase muito prematura da temporada, o time precisa de estabilidade e os responsáveis do clube foram sensíveis ao apelo do elenco: Efetivar Pachequinho na tentativa de serenar a situação, até porque o técnico está habituado a lidar com cenários de crise, está perfeitamente identificado com a realidade do clube, conhece cada jogador e todo o elenco vê em Pachequinho uma boa solução para o imediato, alterando o mau clima que se sentia no vestiário apesar do bom percurso do time sob as ordens de Carpegiani na última etapa do Brasileirão 2016. A voz do grupo foi o atacante Kléber Gladiador, que revelou ser a favor da manutenção de Pachequinho, ainda antes da disputa do”Atletiba”. O “compromisso” entre comissão técnica, elenco e diretoria é a de conquistar novamente o título Estadual. O próximo desafio para o Paranaense é sábado, no Couto Pereira, frente ao Pudentópolis, em partida válida pela sexta rodada do Paranaense.

Nomes especulados

Se a equipa não crescer a breve prazo a nível exibicional e falhar no Estadual, a diretoria poderá precipitar a contratação de um novo técnico. Caso contrário, levará Pachequinho até final do Paranaense para depois iniciar um novo ciclo, dando apenas cerca de duas semanas ao novo técnico antes de iniciar o Brasileirão. De qualquer modo, a escolha será feita o quanto antes para que o técnico possa conhecer a realidade da equipa.

Rogério Micale, técnico que levou o Brasil ao ouro olímpico e recentemente se envolveu em polêmica com Tite, é uma das hipóteses. Ricardo Gomes e Argel, técnicos que treinaram times do Brasileirão na última temporada, também são hipóteses para a sucessão de Pachequinho. Fora de hipótese estão Marcelo Oliveira – rejeitou a abordagem do “Coxa” – e Levir Culpi, técnico que continua a rejeitar treinar na capital Paranaense.

Boas Apostas!