Chegou ao fim mais uma edição da janela de transferências de inverno em solo europeu. No primeiro dia de fevereiro, é oportuno fazer contas para perceber quem mais gastou nesse mercado. Fique a conhecer os cinco maiores investimentos concretizados. Quatro dessas cinco mudanças têm um denominador comum: pelo menos um time da Premier League envolvido.

Coutinho

Foto: "Reuters"

Foto: “Reuters”

120 milhões de euros. Philippe Coutinho foi o jogador que mais dinheiro movimentou nessa janela de transferências europeia. O internacional brasileiro trocou os ingleses do Liverpool pelos espanhóis do Barcelona e se converteu no terceiro jogador mais caro da história do clube, o terceiro mais caro da história do futebol, apenas superado pelos investimentos realizados pelos franceses do PSG nas contratações de Neymar e Mbappé. Coutinho já brilha com a camisa do Barcelona e é o trunfo de Ernesto Valverde para o ataque à segunda metade da temporada. A conquista do campeonato espanhol está encaminhada e Valverde quer que Coutinho contribua para o sucesso catalão na Liga dos Campeões.

Virgil van Dijk

Na primeira posição desse “top 5” de investimento surge Virgil van Dijk, zagueiro que o Liverpool contratou ao Southampton a troco de 85 milhões de euros – os “saints” continuam a encher seus cofres à custa dos “Reds” de Anfield. O jogador holandês se converteu no defensor mais caro da história do futebol e reforçou as opções de Jurgen Klopp para o eixo defensivo. Para garantirem o jogador, os “Reds” tiveram que concorrer com o Manchester City, emblema que também procurava uma solução nesse mercado e acabou por a encontrar noutro sítio.

Diego Costa

O atacante hispano-brasileiro deixou o Chelsea de forma bem polêmica, após se ter incompatibiliado com o técnico italiano Antonio Conte. Consumada a saída do Chelsea, Diego Costa quis regressar onde outrora foi feliz: o “seu” Atlético de Madrid. O retorno à capital espanhola não foi fácil para o atacante, uma vez que os “Colchoneros” se encontravam impedidos de inscrever jogadores até dezembro por conta de uma sanção da UEFA. Não obstante, Diego Costa manteve a sua intenção de voltar a vestir a camisa vermelha e branca e integrou as sessões de treinamento do elenco até poder ser inscrito, no mês de dezembro. Para garantir o retorno do jogador que estava há três épocas no Chelsea, o Atléti gastou cerca de 65 milhões de euros.

Laporte 

A contratação de Virgil van Dijk falhou e o Manchester City teve que avançar para outra solução, aumentando o leque de opções para o centro da zaga. Aymeric Laporte era um “namoro” antigo dos “Citizens” e de Pep Guardiola e o “casamento” se concretizou mesmo nessa janela de inverno: o time inglês pagou 65 milhões de euros pelo passe do jogador, batendo a multa rescisória do jogador que se junta a Otamendi, Stones e Kompany. A chegada do basco implicou a saída de Mangala para o Everton a título de empréstimo.

Aubameyang

Não fosse a troca Alexis Sánchez – Mkhitaryan entre Arsenal e Manchester United e a chegada de Pierre-Emerick Aubameyang seria a movimentação mais mediática nessa janela de inverno em Inglaterra. Após um longo processo pejado de avanços e recuos, os “Gunners” conseguiram mesmo fechar a contratação do internacional gabonês ao Borussia Dortmund, oficializando a negociação justamente no último dia do mercado. Para tirar o jogador do Westfalen, o Arsenal pagou uma verba entre os 63 e os 64 milhões de euros.

Boas Apostas!