Ano de Copa do Mundo sempre faz com que o mercado da bola fique ainda mais movimentado, tanto no futebol europeu quanto brasileiro. Isso porque no Mundial costumam aparecer jogadores que até então não eram tão conhecidos ou eram contestados ou então já eram craques, que ao terem um bom desempenho numa Copa, ficam ainda mais valorizados e desejados por grandes clubes. Após a Copa do Mundo da Rússia, alguns jogadores que defenderam seu país despertaram o interesse de grandes clubes europeus, como Eden Hazard e Thibaut Courtois, que estão perto do Real Madrid. No Brasil, a movimentação relacionada à Copa da Rússia ainda é pequena (muito por conta do poder financeiro dos clubes brasileiros), mas uma negociação já foi fechada entre uma equipe brasileira e um jogador que esteve na Rússia: O Santos fechou recentemente a contratação do meia Bryan Ruiz, da Costa Rica.

Essa não é a primeira vez que um clube brasileiro contrata um jogador que esteve na Copa do Mundo. Ao longo da história, o futebol brasileiro tem vários exemplos dessa movimentação de mercado. A seguir, confira alguns nomes que mudaram de clube e chegaram ao Brasil após um Mundial, com destaque para a presença de alguns campeões mundiais com a seleção brasileira em 1970 e 2002.

Os craques de 1958 e 1970

Zagallo como jogador em 1958.

Zagallo como jogador em 1958.

Zagallo (Suécia-1958) – Do Flamengo para o Botafogo: um dos maiores nomes do futebol brasileiro e mundial, o então ponta-esquerda de apenas 26 anos esteve no primeiro título mundial da seleção brasileira, fazendo inclusive um dos gols na final contra a Suécia. Quando levantou a taça em 1958, Zagallo era jogador do Flamengo, porém, depois de voltar ao Brasil mudou para o Botafogo, sendo o primeiro jogador a conseguir o passe livre na história do país. Na equipe alvinegra, tornou-se um grande ídolo, formando um ataque muito forte com Didi, Quarentinha, Amarildo e Garrincha. Permanecendo na equipe até 1964, quando se aposentou, Zagallo conquistou dois Campeonatos Cariocas (1961 e 1962) e dois Torneios Rio-São Paulo (62 e 64), além de ter sido técnico da equipe entre 1966 e 1970.

Pedro Rocha (México-1970) – Do Peñarol (URU) para o São Paulo: primeiro jogador uruguaio a disputar quatro Copas do Mundo (1962, 1966, 1970 e 1974), ele trocou o Peñarol pelo São Paulo pouco depois do Mundial do México, onde fez um bom trabalho, mas não participou da eliminação uruguaia nas semifinais para o Brasil. Conhecido como El Verdugo, logo se tornou um dos principais ídolos do clube tricolor, onde ficou por sete anos. Considerado um dos maiores camisa 10 do São Paulo, participou de dois títulos estaduais (1971 e 1975) e foi vice-campeão brasileiro também duas vezes (1971 e 1973), além de ter marcado 113 gols em 374 jogos com o São Paulo.

Zé Maria (México-1970) – Da Portuguesa para o Corinthians: reserva de Carlos Alberto Torres durante o Mundial de 1970, o lateral-direito foi negociado com o Corinthians durante a Copa e por pouco não foi barrado pela diretoria da Portuguesa. Depois de levar a transferência para a Justiça, Zé Maria estreou com a camisa 2 do Corinthians e trilhou uma grande carreira na equipe paulista, onde tornou-se um dos maiores ídolo e é até hoje o quarto jogador que mais vezes vestiu a camisa alvinegra. Durante os treze anos em que esteve no Corinthians, o lateral participou de quatro títulos estaduais (1977, 1979, 1982 e 1983).

Contratações mais recentes

Zé Roberto (Alemanha-2006) – Do Bayern (ALE) para o Santos: embora não tenha conquistado o título nacional, foi um dos destaques do Brasil no Mundial de 2006, quando jogou praticamente em casa, já que na época estava jogando na Alemanha, pelo Bayern de Munique. Aos 32 anos, o lateral decidiu voltar ao Brasil depois do Mundial, sendo contratado pelo Santos a pedido de Vanderlei Luxemburgo. Ficando apenas um ano, Zé Roberto conquistou o Paulista de 2007 e logo depois foi comprado novamente pelo Bayern.

Ricardinho (Japão-2002) – Do Corinthians para o São Paulo: campeão mundial com a seleção brasileira, era ídolo do Corinthians antes da Copa e mesmo assim decidiu transferir-se para o rival São Paulo após o título. Embora tenha tido bons jogos, não conseguiu brilhar tanto quanto no Timão e acabou ficando apenas um ano no tricolor paulista, mudando-se para o Middlesbrough, da Inglaterra. Ele ainda voltaria para o Corinthians em 2006, além de integrar também a lista de convocados para Copa do mesmo ano.

Boas Apostas!