É o campeonato de futebol nos Estados Unidos em conjunto com o Canadá, sendo esse equivalente a primeira divisão da USSF (United State Soccer Federation) e da CSA (Canadian Soccer Association).

20 times que disputam a MLS em 2016.

20 times que disputam a MLS em 2016.

A liga foi criada em 1996, em pedido à exigência da FIFA,no processo que resultou na escolha dos Estados Unidos  para sediar a Copa do Mundo de 1994, inclusive onde o Brasil foi tetracampeão mundial. Existem atualmente outras ligas, mas é na MLS (Major League Soccer), onde atuam os principais astros. No seu primeiro campeonato contando apenas com 10 equipes a MLS cresceu de maneira expressiva, dentro e fora dos campos, e já é uma realidade do esporte no país. Eram elas, Colorado Rapids, Dallas Burn, Kansas City Wiz, Los Angeles Galaxy e San Jose Clash formavam a Conferência Oeste, enquanto Columbus Crew, D.C. United, New England Revolution, New York Metrostars e Tampa Bay Mutiny integravam a Conferência Leste. Hoje o campeonato já tem 20 equipes, entre elas 3 que foram anexadas do país vizinho que são: Toronto FC, Impact Montréal e Vancouver Whitecaps.

História da MLS

Beckham em sua apresentação no Los Angeles Galaxy em 2007.

Beckham em sua apresentação no Los Angeles Galaxy em 2007.

A primeira temporada da MLS foi disputada em 1996, quando dispunha de alguns estádios que haviam sido construídos para a Copa do Mundo ocorrida no país dois anos antes. Alguns jogadores de peso do futebol mundial participaram já da temporada inicial da MLS, como o norte-americano Tony Meola, os mexicanos Jorge Campos e Hugo Sanchez, o boliviano Marco Etcheverry, o italiano Roberto Donadoni e o colombiano Carlos Valderrama. Mas foi o norte-americano Eric Wynalda, defendendo o San Jose Clash, que marcou o primeiro gol da história da Liga, no dia seis de abril de 1996. Ao final da temporada, o D.C. United foi consagrado como o primeiro campeão da MLS. Após o entusiasmo  inicial, a MLS enfrentou um período de queda, vendo o público nos estádios e a

audiência televisiva diminuírem sensivelmente, apesar da entrada de duas novas franquias: o Miami Fusion e o Chicago Fire, em 1998. Em prejuízo financeiro, a Liga tentou aproximar o esporte do público norte-americano implementando algumas mudanças nas regras, como a utilização de um relógio com contagem regressiva para marcar o tempo de jogo – como acontece no basquete e no futebol americano – e a decisão dos jogos que terminavam empatados com cobranças de pênaltis. As medidas não foram bem sucedidas e foram revistas em 1999. Impulsionado pelo sucesso da seleção dos Estados Unidos na Copa do Mundo de 2002, quando a equipe chegou às quartas-de-final, o futebol voltou a ganhar popularidade no país. Ao mesmo tempo, uma boa geração de jogadores norte-americanos, liderada pelo goleiro Tim Howard, começou a se destacar nos grandes clubes europeus, fortalecendo a sensação de crescimento do esporte em território norte-americano.

Kaká e Pirlo se cumprimentam após jogo pela MLS.

Kaká (Orlando City) e Pirlo (New York City) se cumprimentam após jogo pela MLS 2016.

Em 2007, a MLS expandiu suas fronteiras com a entrada do Toronto FC, primeira franquia canadense a disputar a competição. No mesmo ano, a transferência do inglês David Beckham para o Los Angeles Galaxy representou um marco na história da Liga, contando que deveria ser uma questão de tempo até que mais medalhões internacionais se transferissem para disputar a MLS. A boa campanha norte-americana na Copa do Mundo de 2014 e a recuperação econômica dos Estados Unidos deram um impulso à chegada de outros craques que brilham na Liga atualmente, como o brasileiro Kaká, o inglês Gerrard, o irlandês Robbie Keane e o italiano Sebastian Giovinco, além do espanhol David Villa ex- Barcelona e Andrea Pirlo ex- Milan e Juventus.

Com o crescimento da liga durante todos esses anos, a seleção americana nos campeonatos que vem disputando tem obtido ótimos resultados, como na última copa do mundo em 2014, chegando as oitavas de final e na Copa America Centenário em 2016, ficando no 4º lugar, a frente de seleções como a do Brasil, Uruguai  e Paraguai. Vemos com isso que a MLS tem contribuído para o crescimento do esporte no país e tem inclusive influenciado diretamente nos resultados da seleção norte-americana que vem ganhando qualidade e rendimento nos últimos anos.

Os times e seus valores

Atualmente, os 20 times que disputam a MLS são divididos da seguinte forma:

Conferência Leste:  NY Red Bulls, New York City FC, Toronto FC, Philadelphia Union, Orlando City, New England Revolution, Montreal Impact, D. C. United, Columbus Crew e Chicago Fire.

Conferêrencia Oeste: Colorado Rapids, FC Dallas, Houston Dynamo, Los Angeles Galaxy, Portland Timbers, Real Salt Lake, San Jose Earthquakes, Seattle Sounders, Sporting Kansas City e Vancouver Whitecaps.

Abaixo os valores da equipes da MLS segundo a Forbes:

1.Seattle Sounders: US$285 milhões
2. LA Galaxy: US$265 milhões
3. New York City: US$255 milhões
4. Toronto FC: US$245 milhões
5. Orlando City: US$240 milhões
6. Houston Dynamo: US$215 milhões
7. Portland Timbers: US$210 milhões
8. Sporting KC: US$195 milhões
9. New England Revolution: US$185 milhões
10. San Jose Earthquakes: US$180 milhões

Sistema de disputa

1º fase:  Disputada entre os meses de março e outubro, onde todos os clubes se enfrentam entre si em jogos de ida e volta. A pontuação é dividida entre a da Conferência, para determinar classificados para a segunda fase, e geral, com o time mais bem-sucedido na temporada regular vencendo o MLS Supporters Shield.

2º fase/Playoffs: Disputado entre os meses de outubro e novembro em jogos de ida e volta entre os cinco primeiros de cada divisão, em cruzamento olímpico, segundo e terceiro lugares jogam entre si, enquanto o primeiro lugar enfrenta o vencedor de um jogo único entre o quarto e quinto.

3º fase/MLS Cup: Disputada em um único jogo, em um lugar pré-definido, entre os campeões das duas conferências, o vencedor deste jogo é o que levanta o título de campeão dos Estados Unidos.

Boas Apostas!