No México, o próximo fim-de-semana fica marcado pela realização da final do Clausura 2017 que vai colocar frente a frente Tigres e Chivas. O time de Monterrey, comandado pelo brasileiro “Tuca” Ferretti, tentará se superiorizar a uma formação superiormente orientada pelo argentino Matías Almeyda.

Foto: MEXSPORTS"

Foto: MEXSPORTS”

Pendurou as chuteiras em 2011, após a inédita descida do River Plate ao segundo escalão argentino, derrotado no derradeiro “play-off” com o Belgrano de Cordóba. Enquanto parte de Buenos Aires exultava com a descida do “Millonario”, a outra chorava o insucesso de um histórico do futebol sul-americano, com a capital argentina a “ferro e fogo” em virtude de graves confrontos dentro e fora do Monumental Nuñez com as forças de segurança. Matías Almeyda assumiu  função de técnico do seu time, e alcançou o retorno ao escalão máximo do futebol argentino, algo que mais tarde conseguiria com o Banfield. Deixou o o Banfield em 2015 e recebeu uma proposta das mãos de Jorge Vergara, dono do Chivas, assinando um contrato válido por cinco anos.

Em setembro de 2015, Matías Almeyda aceitou o desafio de suceder a José Manuel de la Torre no comando do time Chivas, pegando no time que tinha a manutenção na Liga MX em risco. A pressão era imensa, mas o técnico argentino demonstrou sua mestria a lidar com situações desse género e foi capaz de salvar o time da descida. Para abrilhantar seu trajeto no clube, ganhou duas edições da Copa MX e uma Supercopa. No próximo domingo, tem aquele que é provavelmente o desafio mais exigente da sua carreira até hoje: A final do Clausura 2017 da Liga MX. Com um time 100 por cento composto por jogadores mexicanos, Matías Almeyda foi capaz de liderar o time até à decisão do “play-off”, liderando um emblema que não chegava até esse nível há 11 anos, uma vez que disputou a última final em 2006.

Para chegar na final desse “play-off”, após ter terminado no terceiro posto da fase regular com os mesmos 27 pontos que o “vice” Monterrey, o Chivas teve que ultrapassar duas eliminatórias. Nas quartas passou pelo Atlas e nas meias pelo Toluca, sempre com muito sofrimento envolvido. Na final, terá pela frente o Tigres, finalista vencido da Liga dos Campões da CONCACAF orientado por “Tuca” Ferretti, experiente técnico que deixou elogios a Matías Almeyda na abordagem à final.

Independentemente do que aconteça na final deste Clausura 2017, Matías Almeyda já sabe que a 16 de julho tem nova possibilidade de conquistar um troféu com o Chivas, uma vez que disputa a final da Supercopa mexicana frente ao Queretaro, em Los Angeles.

Boas Apostas!