Infelizmente, o Brasil e o mundo presenciaram a grande tragédia ocorrida no final do mês de novembro, ocorrida com a queda do avião que transportava a delegação de quase cinquenta integrantes do clube da Chapecoense, entre eles jogadores, comando técnico, dirigentes e funcionários, além de uma grande comitiva de profissionais da mídia esportiva que contava entre estes, o ex-jogador, ex-técnico e agora ex-comentarista esportivo Mário Sérgio Pontes de Paiva, ou mais conhecido como simplesmente Mário Sérgio.

Devair Paschoalon e Mário Sérgio (Companheiros falecidos no desastre).

Devair Paschoalon e Mário Sérgio (Companheiros falecidos no desastre).

Além de ter sido a maior tragédia envolvendo uma equipe esportiva, não somente futebolística, em toda a história, foi também a maior tragédia envolvendo o setor da imprensa em toda a história do Brasil. Entre as vítimas que faziam parte da imprensa, estavam Victorino Chermont (FOX Sports), Lilacio Pereira Jr. (FOX), Rodrigo Santana Gonçalves (FOX), Devair Paschoalon (FOX), Paulo Julio Clement (FOX), Guilherme Marques (TV Globo),  Guilherme Van der Laars (TV Globo), Ari de Araújo Jr. (TV Globo), Laion Espíndola (GloboEsporte.com), Giovane Klein Victória (RBS), André Podiacki (RBS), Bruno Mauri da Silva (RBS), Djalma Araújo Neto (RBS), Gelson Galiotto (Rádio Super Condá), Edson Luiz Ebeliny (Rádio Super Condá), Fernando Schardong (Rádio Chapecó), Douglas Dorneles (Rádio Chapecó), Jacir Biavatti (RIC TV e Rádio Vang FM), Renan Agnolin (Rádio Oeste Capital), Rafael Henzel (Rádio Oeste Capital), entre eles o comentarista esportivo Mário Sérgio (FOX Sports).

Mário Sérgio jogador

Mário Sérgio campeão mundial pelo Grêmio em 1983.

Mário Sérgio campeão mundial pelo Grêmio em 1983.

Conhecido como “Vesgo” por seus lances de habilidade quando olhava para um lado e passava a bola para outro, Mário Sérgio sempre mostrou um controle e bola, habilidade e uma maestria ao conduzir a bola e com suas fintas de corpo, enganar os marcadores.  Mário Sérgio era considerado um ídolo do futebol brasileiro, mais idolatrado na região sul do país, por ter conquistando o título de campeão brasileiro de 1979 com o Internacional, campeão mundial de 1983 com o Grêmio e campeão da Copa do Mundo pela seleção brasileira de Masters em 1991.

Falecido com 66 anos, Mário Sérgio nasceu no Rio de Janeiro em 1950 e iniciou seus primeiros passo no futsal do Fluminense, clube qual seu pai era sócio e por onde jogou por 7 anos e foi bicampeão brasileiro com a seleção carioca. Em 1969 foi levado por amigos ao Flamengo para fazer um teste no futebol profissional de campo e passou, iniciava ali uma grande carreira de jogador de futebol de campo profissional. Passou por 13 grandes clubes do futebol brasileiro e conquistou dezenas de títulos se aposentando em 1987 com 37 anos de idade. Durante 1981 a 1985 serviu a seleção principal do Brasil. Foi vencedor da Bola de Prata da Revista Placar de 1973, 1974, 1980 e 1981.

Mário Sérgio Técnico e Comentarista esportivo

Mário Sérgio técnico do Atlético Paranaense por três vezes.

Mário Sérgio técnico do Atlético Paranaense por três vezes.

Após sua aposentadoria em 1987, no mesmo ano assumiu o time do Vitória como técnico de futebol, iniciava ali sua segunda carreira no meio esportivo. Após o Vitória, treinou Corinthians, São Paulo, Atlético Paranaense por três vezes (2001, 2003/04 e 2008), São Caetano, Atlético Mineiro, Figueirense, Botafogo-RJ, Portuguesa-SP, Internacional e Ceará.

Mário Sérgio sempre foi lembrado por sua grande habilidade e lances inusitados, como técnico não alcançou muito sucesso, não conquistando nenhum título, porém também sempre lembrado por falar o que pensa, dono de uma oratória convincente e o uso harmônico das palavras ao dar comentários picantes sobre as partidas quando entrevistado por repórteres esportivos, fato que o levou a tornar-se comentarista esportivo de futebol. No início da década de 90 já tinha trabalhado como comentarista da TV Bandeirantes, trabalhou também pela emissora como comentarista das Copas de 90 e 94.

Sempre fazia comentários picantes e inventava expressões que são usadas até hoje como: “O time X está começando a gostar do jogo”. Em 2003 deu um tempo da carreira de técnico e fazia palestras, atuando como comentarista em jogos e programas esportivos como convidado. Em 2012 foi anunciado como contratado pelos canais Fox Sports, seu contrato era válido até a Copa do Mundo de 2018, porém sua jornada foi interrompida por uma tragédia, a queda do avião que transportava a equipe da Chapecoense levava também uma grande comitiva de imprensa que acompanharia a primeira partida entre Atlético Nacional e Chapecoense, jogo válido pela final da Copa Sul-Americana.

Boas Apostas!