Estão encontrados os oito finalistas da Liga dos Campeões 2016/17. As partidas disputadas na noite de quarta feira encerraram as oitavas da prova de clubes mais importante do continente europeu. Com contributo de Fabinho e Jemerson, o Mónaco deu a volta à desvantagem que trazia do Etihad e relegou o Manchester City para fora da Europa. No Vicente Calderón, o finalista vencido da última edição confirmou o acesso.

Barcelona, Bayern de Munique, Borussia Dortmund, Real Madrid, Leicester, Juventus, Atlético de Madrid e Mónaco são os outros emblemas que seguem para as quartas da Liga dos Campeões. Esta quarta feira, as atenções se dividiram entre o Stade Louis II e o Vicente Calderón.

Fabinho marca e Mónaco avança

Foto: "Stu Forster/Getty Images"

Mbappé fez o primeiro do Mónaco.                 Foto: “Stu Forster/Getty Images”

 

O Mónaco de Leonardo Jardim é um fenômeno. A formação que ameaça quebrar a hegemonia do PSG na realidade francesa garantiu o passaporte para as quartas da Liga dos Campeões ao eliminar o Manchester City de Pep Guardiola, isso depois de ter perdido no Etihad por cinco a três em jogo de loucos. A viver uma das melhores temporadas da sua história mesmo sem ter conquistado ainda qualquer troféu, o conjunto monegasco é um dos times que melhor futebol pratica na atual conjuntura europeia.

Na noite da partida de volta, no Stade Louis II, o time do Mónaco presenteou os presentes com uma bela demonstração de classe. À procura de dar a volta a um placard desfavorável de dois gols, foi para cima do Manchester City, dominou as ações desde os primeiros instantes e chegou ao gol bem cedo, com gol de Kylian Mbappé, jogador que tem tudo para ser um dos melhores franceses de todos os tempos. O gol madrugador não mudou a atitude do time de Leonardo Jardim que possui o melhor registo atacante dos principais campeonatos europeus. A mobilidade dos homens da frente do Mónaco confundiu a marcação dos “Citizens”, surpreendidos com tamanho caudal ofensivos dos donos da casa. Foi com naturalidade que o Mónaco chegou ao dois a zero perto da meia hora, com um bom remate de Fabinho que apareceu solto de marcação e atirou para o fundo da rede à guarda de Willy Caballero. Na primeira parte, o Manchester City foi praticamente uma nulidade no plano ofensivo e o goleiro Danijel Subasic não passou por momentos de aperto.

Se nos desfazemos em elogios ao Mónaco e sua estratégia para abordar esta partida que banalizou o adversário no primeiro tempo, também há que enaltecer a resposta dada pelo Manchester City na etapa complementar. Os homens de Pep Guardiola voltaram com outra atitude para o jogo e chegaram ao gol por Leroy Sané ao minuto 71. O sonho dos ingleses durou pouco tempo, uma vez que cerca de seis minutos depois, Tiémoué Bakayoko cabeceou para a glória, fazendo o gol que deu a (justa) classificação ao Mónaco para a próxima fase, coroando uma bela exibição tanto coletiva como individual.

Confirmação no Vicente Calderón

Foto: "Getty Images"

Foto: “Getty Images”

O resultado da partida de ida, na BayArena, deixava poucas duvidas quanto ao desfecho da eliminatória. A vitória por quatro a dois em solo germânico praticamente classificou o Atlético para as quartas. Na noite madrilena, frente a um Bayer algo desfalcado e agora comandado por Tayfun Korkut (sucessor de Roger Schmidt), o Atlético de Madrid esteve longe de exibir o nível que já patenteou nessa edição da Liga dos Campeões, empatando sem gols. A melhor oportunidade para desfazer o nulo até pertenceu ao Bayer Leverkusen, time que se apresentou muito personalizado, jogou bem e viu Jan Oblak negar o gol em uma defesa incrível a três tempos. O resultado de Leverkusen permitiu aos “Colchoneros” seguirem com os compatriotas Barcelona e Real Madrid na rota com destino a Cardiff, cidade galesa que vai acolher a final da competição.

Boas Apostas!