O técnico espanhol Unai Emery sucedeu a Arsène Wenger no comando do Arsenal e já viu seu primeiro pedido ser satisfeito. O internacional suíço Stephan Lichtsteiner é o primeiro reforço para o elenco dos “Gunners” para a temporada 2018/19.

Foto: "Arsenal FC"

Foto: “Arsenal FC”

Estava em final de contrato com a Juventus e, apesar dos seus 34 anos de idade, figurava como um dos jogadores mais apetecíveis no mercado europeu. O internacional suíço Stephan Lichtsteiner foi anunciado esta terça-feira (5) como reforço do Arsenal orientado por Unai Emery, chegando em Londres proveniente dos italianos da Juventus.

O espanhol Héctor Bellerín tem sido um dos jogadores mais cobiçados do elenco do Arsenal e na última abertura da janela de transferências esteve perto de se transferir para o Barcelona, cenário que não se confirmou. Ainda que não conste entre os eleitos de Lopetegui para a Copa do Mundo, os “Gunners” querem precaver uma eventual saída e para isso recrutaram os serviços do atual capitão da seleção Suíça que estava na Juventus desde 2011, emblema ao serviço do qual se sagrou heptacampeão transalpino.

Lichtsteiner cumpriu mais de 250 jogos ao serviço do emblema de Turim e leva 99 internacionalizações pela principal seleção da Suíça. Aos 34 anos se prepara para competir pela primeira vez na Premier League e identifica um projeto “idêntico ao da Juventus em 2011” nesse Arsenal comandado por Unai Emery. O treinador espanhol optou por enaltecer a experiência de Stephan poderá acrescentar ao elenco do time do Emirates que na próxima temporada voltará a disputar a Liga Europa.

Revelado pelos suíços do Grasshopers, Lichtsteiner representou os franceses do Lille e os italianos da Lazio e da Juventus antes de chegar a acordo com o Arsenal. Para além das sete edições da liga italiana, o jogador suíço conta com cinco edições da Copa de Itália, quatro recopas transalpinas e um campeonato da Suíça em seu palmarés.

Convocado para a Copa do Mundo da Rússia, Lichtsteiner participou do amistoso com a seleção espanhola no dia que antecedeu a apresentação em Londres. Seu percurso aos serviço da Suíça é admirável e essa ida até à Rússia corresponderá à quinta participação consecutivas em fases finais de uma grande prova de seleções. A participação na prova que vai decorrer na Rússia poderá corresponder à última oportunidade de estar em uma grande fase final ao serviço do time helvético, uma vez que em 2020 já contabilizará 36 primaveras.

Boas Apostas!