O técnico Levir Culpi que chegou nas Laranjeiras para treinar o clube carioca Fluminense Football Club em março deste ano. Na ocasião, o técnico demitido tinha sido Eduardo Baptista e o time do Fluminense estava sendo comandado pelo interino Marcão. O técnico Levir Culpi assumiu o time do Fluminense na vigésima rodada do Campeonato Brasileiro em um jogo em casa contra o América-MG, jogo qual venceu por 1×0. Comandando a equipe carioca, o técnico Levir Culpi alcançou 22 vitórias, 15 empates e 15 derrotas em 52 jogos válidos pelo Campeonato Carioca, Copa do Brasil, Primeira Liga e Campeonato Brasileiro.

Após um bom início de ano no Fluminense, inclusive conquistando o título da Primeira Liga em cima do Atlético Paranaense na final por 1×0, Levir Culpi teve uma boa sequência de jogos pelo Campeonato Brasileiro, chegando a estar entre os primeiros colocados na tabela de classificação, teve uma queda de rendimento nas últimas seis rodadas, com quatro derrotas e dois empates. A gota d’água foi a derrota para o Cruzeiro na última rodada em Belo Horizonte por 4×2, o que levou a demissão do técnico Levir Culpi. A atuação do Fluminense sob o comando de Levir no Campeonato Brasileiro teve os seguintes resultados: 13 vitórias, 9 empates e 12 derrotas.

Após a derrota para o Cruzeiro na última rodada, o técnico foi demitido já no vestiário após o término da partida e inclusive nem deu entrevista coletiva. O próprio presidente do clube Peter Siemsen foi quem anunciou a demissão do técnico: “Antes de mais nada, quero pedir desculpas ao torcedor do Fluminense. A sequência, inclusive com o jogo de hoje, não está à nossa altura. É um momento difícil, a todos nós. É um momento duro, sofrido. Realmente, estou muito chateado. Não tem um torcedor que não esteja. Segundo, apesar de tudo, os resultados têm nos favorecido. Apesar de difícil, não está perdido. Há chance de classificação de Libertadores. Temos jogos importantes pela frente. Tem que mudar atitude, mudar de repente a performance de jogar. Chegou a hora de fazer uma mudança. Quero anunciar a saída do Levir, da comissão técnica e anunciar que, depois de amanhã, o Marcão assume o time junto com o Matheus Costa como auxiliar técnico”.

Dificuldades com o atacante Fred

Atacante Fred e o Técnico Levir Culpi.

Atacante Fred e o Técnico Levir Culpi.

A passagem do técnico Levir Culpi pelo Fluminense não foi nada fácil, desde o início o técnico teve momentos difíceis que quase o fizeram sair do clube, mas persistiu. Em especial tivemos três situações que abalaram a passagem do técnico pelo tricolor das Laranjeiras. Inicialmente, a primeira dificuldade de Levir Culpi no comando do Fluminense foi um atrito entre o técnico e o principal jogador e ídolo do time, o atacante Fred. A mídia divulgou que aconteceu a seguinte situação, antes do técnico Levir Culpi chegar ao Fluminense, o time do Fluminense jogava em função do atacante Fred, todas as bolas ofensivas eram direcionadas para o atacante finalizar ao gol. Com a chegada de Levir Culpi, durante um momento de vestiário, o atacante Fred discutiu com um companheiro de equipe, exigindo que passasse a bola para ele no momento de finalização. O técnico Levir Culpi tomou as dores do atleta e discordou de Fred, afirmou que o time teria que jogar em equipe e não em função do atacante Fred. Esse foi o motivo de o atacante Fred declarar que não jogaria sob o comando do técnico e posteriormente, culminou na saída do atacante que foi para o Atlético Mineiro.

Empate criticado e interferência do Presidente

Presidente do Fluminense Peter Siemsen.

Presidente do Fluminense Peter Siemsen.

O segundo  momento crítico do técnico Levir Culpi no comando do Fluminense foi em um empate com o Ypiranga de Erechim, time que disputa a Série C do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, o Fluminense jogando em casa, empatou em 1×1 na primeira partida da terceira fase, o Fluminense acabaria por vencer o segundo jogo em Erechim por 0x2, passando de fase, mas deixando os torcedores e a mídia duvidosos com o comando de Levir Culpi no Fluminense. O terceiro momento dificultoso de Levir Culpi no comando do Fluminense foi a interferência do presidente do Fluminense Peter Siemsen, que insistia em dar palpites no esquema tático e exigir um maior rodízio dos reservas. O presidente já deixou claro que prefere a presença de três volantes com um forte bloqueio no meio campo, gosta de um aproveitamento de jogadores ofensivos velocistas, que exploram bastante o contra-ataque. O que fica evidente é que o presidente interferia diretamente nas escolhas e formações táticas das escalações do time, o que pode ter prejudicado o rendimento do time dentro de campo. Ficou claro também que o presidente não estava satisfeito com o comando de Levir Culpi.

Agora depois da derrota para o Cruzeiro por 4×2, o presidente além de anunciar a demissão do técnico Levir Culpi, já anunciou a programação para os próximos dias e o planejamento para o próximo compromisso contra o Atlético Paranaense na 35ª rodada no dia 15 de novembro, após os jogos das seleções nacionais, datas da FIFA: “Vamos trabalhar esses quase 10 dias, preparar, trabalhar o psicológico, melhorar o físico, estudar bastante a forma de jogo. Está nítido que o Fluminense precisa de um bloqueio melhor, um bloqueio na intermediária mais forte. O Fluminense tem bons jogadores de velocidade, a gente tem encaixado contra-ataques nos últimos jogos com qualidade, mas tem perdido o controle do jogo quando abrimos mão dos três volantes ou dos atacantes que marcam a saída de jogo”.

Boas Apostas!