Na Itália, a temporada oficial começou com um encontro de loucos válido pela Supercopa italiana. A “zebra” aconteceu e a Lazio, finalista vencida da Copa de Itália em 2016/17, derrotou a Juventus (2-3), detentora dos dois principais troféus do futebol transalpino.

Foto: "Lazio/Twitter"

Foto: “Lazio/Twitter”

A Juve, hexacampeã, domina hegemonicamente o futebol do seu país. Este domingo, teve a oportunidade de conquistar o único troféu interno que não se encontrava na sua posse, uma vez que em 2016 tinha perdido a Supercopa para o AC Milan, em uma final disputada no Qatar. A “Vecchia Signora” era a grande favorita a erguer o troféu, porém, os romanos da Lazio levaram a melhor.

No estádio Olímpico de Roma, palco escolhido para a disputa dessa Supercopa, a Juventus entrou mais forte, decidida em chegar ao gol desde cedo. No entanto, seria a Lazio a adiantar-se no marcador graças a um gol de Ciro Immobile, atacante que passou pela base da Juve e converteu com sucesso uma grande penalidade aos 32 do primeiro tempo, isso depois de ter ganho a falta no interior da área. Na hora de recolher às cabines, a destemida formação “laziale” se encontrava em vantagem, contrariando o total favoritismo da campeã da Itália. Aos nove do segundo tempo, a surpresa se tornou ainda maior. Ciro Immobile voltou a vestir a pele de “carrasco” juventino e atirou de cabeça – mal marcado por Mehdi Benatia – para o gol à guarda de “Gigi” Buffon.

Instado a reagir contra o rumo dos acontecimentos, “Max” Allegri se socorreu de dois reforços, ambos naturalmente com caraterísticas ofensivas: Bernardeschi e Douglas Costa. No entanto, a responsabilidade de relançar a esperança do time “bianconero”, como em tantas outras noites desde que chegou a Turim, coube a Paulo Dybala. O craque argentino que carrega a camisa 10 que já foi de Platini e Del Piero se encarregou de demonstrar a apetência para as bolas paradas. Aos 40 do segundo tempo, cobrou um livre frontal de forma exemplar, imprimindo um efeito perfeito na bola que não deu chance de defesa ao goleiro albanês Thomas Strakosha. Já para lá do tempo regulamentar, o árbitro Davide Massa viu uma infração de Adam Marusic (reforço para a nova temporada) sobre Alex Sandro no interior da área e apontou para a marcar de penalty. Dybala bateu com sucesso e tudo indicava que se iam jogar 30 minutos de prorrogação no Olímpico da capital italiana. Porém, a história foi bem diferente…

Ao terceiro minuto da prorrogação, naquela que poderia ser a última ocasião da partida, Jordan Lukaku ganhou em corrida ao reforço Mattia De Sciglio, entrou na área e entregou para Alessandro Murgia que encostou para o três a dois. Nascido em Roma e revelado pela base “laziale”, fez o gol do triunfo após ter sido lançado aos 35 do segundo tempo por Simone Inzaghi, levando os adeptos do time azul ao delírio. Oito anos depois, a Lazio voltou a erguer a Supercopa da Itália.

Boas Apostas!