Aos 35 anos, Ricardo Izecson dos Santos Leite, mais conhecido por Kaká no mundo do futebol, não descarta a possibilidade de continuar nos gramados. A experiência no Orlando City chegou ao fim, mas o meia internacional pelo Brasil em mais de 90 ocasiões poderá dar continuidade ao seu percurso em solo chinês.

Foto: "AFP/Alex Menéndez"

Foto: “AFP/Alex Menéndez”

A imprensa internacional especula sobre o futuro de Ricardo Kaká, Ballon d’Or em 2007. O jogador que marcou uma geração se despediu o futebol estadounidense após três anos de ligação ao Orlando City, emblema que decerto não se arrependeu de apostar em seus serviços visto que Kaká foi utilizado com regularidade apesar dos 35 anos de idade. Nesse último ano de 2017, Kaká participou de 23 partidas com o Orlando City e disse adeus ao time a 15 de outubro, data da receção ao Columbus Crew, partida em que cumpriu os 90 minuto. Sem clube desde então, é na Ásia que se abre uma porta para dar continuidade à carreira, colocando mais um país em uma carreira que, para além da nação natal, passou por Itália, Espanha e Estados Unidos.

Dinheiro não é um problema para os times da Superliga chinesa e o Ghizou Hengfeng Zhicheng certamente terá uma proposta muito interessante para Kaká em mente. Segundo o jornal espanhol “AS”, é o Ghizou quem surge na linha da frente para garantir os serviços do meia. Na última edição do primeiro escalão chinês, ganho mais uma vez pelo Guangzhou Evergrande de Luiz Felipe Scolari, o time do Ghizou Zhicheng ficou na oitava posição da tabela classificativa. O time que chegou a ser orientado pelo espanhol Gregorio Manzano contou com quatro “gringos” no elenco durante a temporada: os também espanhóis Mario Suárez e Rúben Castro, o croata Nikica Jelavic e o neerlandês Tjaronn Chery.

A possibilidade de continuar nos gramados está longe de ser a única opção de futuro para Kaká. Figura mítica do melhor AC Milan dos últimos anos que chegou a se sagrar campeão da Europa, Kaká continua a ser muito respeitado na Itália e na última quinta-feira (23) esteve mesmo em San Siro para assistir à partida com o Áustria de Viena válida pela penúltima rodada da fase de grupos da Liga Europa que o AC Milan venceu por cinco a um. Antes da partida, Kaká subiu ao grama, recebeu a “sua” camisa 22 como forma de homenagem, foi ovacionado pelas arquibancadas e foi revelado que Kaká tem em mãos uma proposta para integrar a diretoria do clube “rossonero”. Questionado sobre o futuro, o (ainda) jogador afirmou que está a ponderar.

No “Twitter” oficial do clube, o AC Milan “postou” quatro fotos de Kaká posando junto do diretor esportivo Marco Fassone com a legenda “Lenda! Bem-vindo de volta a casa, Ricky!”. Vale lembrar que, em seis anos de AC Milan, Kaká ajudou a conquistar uma Liga dos Campeões, uma edição da Série, outra da Supercopa italiana, outra da Europa e ainda o Mundial de Clubes.

Boas Apostas!