Está definido o futuro de John Terry. O experiente zagueiro de 36 anos vai atuar no Championship durante a próxima temporada, tentando auxiliar o histórico Aston Villa a garantir o retorno ao primeiro escalão do futebol inglês. O clube de Birmingham confirmou o acerto esta segunda-feira.

John Terry

Foto: “Aston Villa FC”

Terry is a Villan

John Terry tinha terminado contrato com o Chelsea no final da última temporada e se encontrava livre para assinar por um novo clube. O zagueiro optou por permanecer no futebol inglês e fechou com o Aston Villa, se convertendo no primeiro grande reforço do emblema da vidade de Birmingham para encarar a temporada 2017/18. Na última época, a primeira desde o regresso ao Championship, o Aston Villa não teve capacidade suficiente para se intrometer na luta pelo retorno à Premier League, se ficando por um modesto 13º lugar com apenas 62 pontos, a 18 dos lugares que deram acesso ao “play-off” de promoção.

O anúncio da contratação de John Terry foi concretizado de uma forma, no mínimo, original. Em suas redes sociais, O Aston Villa divulgou um breve vídeo contendo um chat de grupo do “Whatsapp” em que estão envolvidos Tony Xia (proprietário do clube), o técnico Steve Bruce e posteriormente John Terry. Futuros colegas de time como James Chester e Jonathan Kodjia, Jack Grealish ou Gabby Agbonlahor. O último, ao intervir, escreve que John Terry “deverá ser o melhor zagueiro que está no clube”. De imediato, Martin Laursen, Olof Mellberg e Paul McGrath, restantes zagueiros, deixam a conversa, suscitando um pedido de desculpas de Agbonlahor. Uma apresentação, no mínimo, original.

20 anos de Chelsea

O nome de John Terry confunde-se com o do Chelsea. Foram mais de duas décadas de ligação entre o internacional inglês e os “Blues” de Londres. Em Stamford Bridge, John Terry se afirmou como um dos principais nomes na emancipação do clube, motivada pelo investimento milionário de Roman Abrahmovic, em 2003. Em Inglaterra, ganhou tudo que tinha para ganhar: Cinco edições da Premier League, seis da FA Cup, quatro da Copa da Liga e três da Supercopa. A nível europeu, idém: Uma Champions League, uma Liga Europa e uma Supercopa europeia. No seu curriculum, a nível de clubes, falta apenas uma Copa do Mundo de Clubes, prova que o Chelsea disputou perdendo na decisão para o Corinthians.

Ao nível individual, foi eleito pela UEFA como melhor defesa a atuar na Europa em três ocasiões, constando em cinco edições da “Equipa do Ano” da FIFA.

Ao serviço da Inglaterra, seleção que chegou a capitanear, esteve em quatro fases finais de grandes competições: Euro 2004 (Portugal), Copa do Mundo 2006 (Alemanha), Copa do Mundo 2010 (África do Sul) e Euro 2012 (Polônia e Ucrânia).

Contrato de um ano

Na temporada 2016/17, John Terry foi pouco utilizado pelo técnico Antonio Conte, participando de apenas 14 partidas. O vínculo que assinou com o Aston Villa tem a duração de apenas um ano, sendo válido até 30 de junho de 2018. A diretoria do clube preferiu não assumir riscos ao assumir um contrato mais breve, uma vez que John Terry já contabiliza 36 anos e os problemas físicos poderão ser um problema.

Boas Apostas!