A diretoria da Inter de Milão despediu o segundo treinador nesta temporada. Stefano Pioli deixou o clube a três jornadas do termo da Série A 2016/17.

Stefano PioliContratado no início de novembro para suceder a Frank de Boer no comando da Inter, Stefano Pioli não resistiu à série de maus resultados e abandonou o clube antes do final da temporada. Se a sua saída após o final era um dado praticamente adquirido, nada fazia prever que diretoria tomasse a decisão de proceder ao despedimento no imediato. A derrota frente ao Genoa (1-0) no Luigi Ferraris assinalou o último desafio do técnico de 51 anos no comando da Inter, prolongando a atual série negativa para sete jogos sem conhecer o sabor da vitória. Torino (2-2), Sampdoria (1-2), Crotone (2-1), AC Milan (2-2), Fiorentina (5-4), Nápoles (0-1) e Genoa (1-0) travaram a Inter e provocaram a segunda mudança no comando nesta temporada. O despedimento foi comunicado através do site oficial do clube através do seu site oficial na noite terça-feira, na semana que antecede a receção à equipa do Sassuolo. A três jornadas do fim, Stefano Vecchi, técnico das reservas, vai assumir os destinos do time nos três jogos que restam. Pioli não foi capaz de cumprir os objetivos definidos pela diretoria.

A reação ao despedimento surgiu pela voz do empresário de Stefano Pioli, revelando que o treinador ficou “muito surpreendido com o que aconteceu”.

Pior Inter que em 2015/16

A Inter de Milão teve um início de temporada muito modesto, liderada por um técnico que não se ajustava às necessidades do time e aparentemente incapaz de se familiarizar com a realidade do futebol italiano. A paciência dos responsáveis do clube chegou ao fim e Frank de Boer deixou Milão. A escolha recaiu sobre Stefano Pioli, um técnico conhecedor do Calcio e uma opção adequada atendendo ao contexto e à fase da época. O italiano “mudou a cara” do time, fez com que subisse de nível em termos exibicionais e recolocou a Inter na briga pela Europa, objetivo traçado para essa temporada. Os últimos dois meses foram fatais. Com uma queda e produção acentuada, a formação de Milão perdeu muito terreno na tentativa de chegar à Europa e agora, a três jornadas do fim, a classificação não é mais que uma utopia. Depois da na época passada ter terminado na 4ª posição e garantido o acesso à Liga Europa. este ano, o Inter é 7º colocado e está até atrás do rival AC Milan. A recuperação da Inter, agora propriedade de um grupo de empresários chineses, pressupõe o acesso às provas europeias, de preferência à Liga dos Campeões, prova que venceu em 2009/10 com José Mourinho no comando técnico.

Se a especulação já era grande, é provável que ganhe maior densidade nos próximos dias, até porque a diretoria do clube concentrará seus esforços pra anunciar o novo técnico o quanto antes. A imprensa italiana continua a citar os nomes de Diego Simeone e Antonio Conte como prováveis sucessores. O nome do argentino tem sido muito falado e a “Gazzetta dello Sport” chegou a escrever que foi apresentando um cheque em branco ao atual treinador do Atlético de Madrid. Antonio Conte, quase campeão pelo Chelsea, dificilmente vai deixar Stamford Bridge para retornar a Itália, ambicionando disputar a Liga dos Campeões com o time londrino.

Boas Apostas!