A temporada esportiva 2017/18 fica na hsitória do Hamburgo pelos piores motivos. Pela primeira vez desde a sua fundação (1887), o time abandonou o escalão máximo do futebol germânico. Os “Rothosen” eram, até então, o única emblema germânico que nunca havia sido rebaixado em toda a história.

Foto: "Getty Images"

Foto: “Getty Images”

Esse final de semana fica marcado pela disputa da última rodada dos principais campeonatos alemães de futebol antes da habitual pausa de inverno – a ação só retornará aos gramados germânicos no final de janeiro.

Na 2.Bundesliga, os emblemas que abandonaram a elite no último ano seguem na frente, sendo certo que, aconteça o que acontecer nessa rodada, Hamburgo e Colónia continuarão a ocupar os dois primeiros postos da tabela, os únicos que dão acesso direto à Bundesliga 2019/20.

Retorno o quanto antes

Ao cabo de 17 rodadas, o Hamburgo lidera com 37 pontos conquistados em 17 desafios e tem apenas um de vantagem em relação ao Colónia, time que entrará em campo nessa sexta-feira para enfrentar o Bochum, ao passo que o compromisso do Hamburgo está agendado para domingo, frente ao Holstein Kiel, com pontapé de saída agendado para as 10:30h (horário de Brasília). A vantagem em relação ao Union Berlin, na terceira posição, é de seis pontos.

No entanto, nem tudo tem sido um “mar de rosas” para o Hamburgo nessa edição do segundo escalão da Alemanha. Cristian Titz, treinador que iniciou a época no comando técnico, deu lugar ao jovem Hannes Wolf após uma série menos boa de resultados.

Nesse momento, o Hamburgo atravessa uma ótima fase, tanto que venceu oito dos últimos dez compromissos que disputou e não perdeu nenhum. O encontro desse domingo, frente ao Kiel, corresponderá ao início do segundo turno da 2. Bundesliga e o Hamburgo terá pela frente um dos dois adversários diante dos quais perdeu no primeiro.

Brasileiro no elenco

Tem brasileiro no time do Hamburgo e atuando como pedra basilar. Douglas Santos, produto da escola do Náutico que chegou a representar o Atlético Mineiro, está há três anos no Hamburgo e nem o rebaixamento fez o jogador de 24 anos que conta com uma internacionalização pela seleção brasileira abandonar o clube. Nesse ano, até ver, é totalista: leva 19 encontros disputados com a camisa do Hamburgo e um gol apontado.

Rival “à espreita”

À entrada para essa temporada, uma das grandes expetativas da torcida do Hamburgo, apesar da queda, passava pela possibilidade de confronto com o histórico rival local, nada mais nada menos que o St. Pauli. O primeiro confronto entre os dois times terminou empatado sem golos e, atendendo ao rumo dos acontecimentos, não é de descartar que os dois times continuem a se defrontar na próxima temporada… mas no escalão máximo. O Hamburgo tem melhores condições que o rival para assegurar a promoção, mas a verdade é que o St. Pauli segue no quarto posto da tabela com 31 pontos, tantos quanto o 1. FC Union Berlin que, caso terminasse agora a competição, teria a possibilidade de encarar um dos últimos colocados da tabela da Bundesliga em um “play-off”.

Boas apostas!