A felicidade está de volta à cidade eternizada pela pena de Williams Shakespeare e pelo romance vivido entre Romeu e Julieta. O Hellas, histórico da cidade de Verona, assegurou o retorno ao escalão máximo do futebol italiano.

Foto: "LaPresse - Francesca Soli"

Foto: “LaPresse – Francesca Soli”

Depois da tempestade, a bonança. Um ano após ter caído na Série B italiana, o Hellas Verona retorna ao escalão máximo, carimbando o acesso na derradeira rodada do segundo escalão. Na noite de quinta-feira, o histórico do “Calcio” e clube mais representativo da cidade de Verona se deslocou ao estádio Dino Manuzzi para enfrentar o Cesena, naquele que foi o 42ª rodada da Série B 2016/17. Precisando apenas de um empate para cumprir seu objetivo, o Hellas Verona não foi além de uma igualdade sem gols que permitiu soltar os festejos após o apito final. O time foi recebido em clima de grande festa na cidade de Verona, desfilando em um autocarro panorâmico.

Longe de seus tempos áureos vividos na década de 80 com a conquista do “scudetto” em 1984/85, o Hellas Verona subiu como segundo colocado da classificação da Série B, atrás do SPAL 2013, emblema que tinha estado na Série A pela última vez há 50 anos. O time da Emilia-Romagna passou por duas situações de falência em 2005 e 2012, caindo na quarta divisão italiana. O contexto motivou a fusão com a Giacomense, alterando seu “naming” para SPAL 2013. Com um elenco 100 por cento composto por jogadores italianos, é orientado por Leonardo Semplici.

Embora tenha terminado com os mesmos 74 pontos que o Frosinone, outro time que também tinha disputado a Série A na temporada 2015/16, o Hellas Verona beneficiou de vantagem tanto no capítulo do confronto direto como na questão do “goal average” para garantir a vice-liderança e consequente acesso direto.

Nas fileiras do time treinado por Fabio Pecchia, técnico que abraçou o primeiro desafio como treinador profissional após passagens pelas comissões técnicas de Nápoles, Real Madrid e Newcastle, militam jogadores com experiência de primeira divisão como Giampaolo Pazzini ou Gennaro Troianiello, reunindo também jovens que estão dispostos a mostrar seu valor na Série A. Boa parte do elenco já tinha disputado a Série A com as cores do Hellas Verona.

Na Série A estão já confirmadas as descidas de Pescara e Palermo, enquanto o terceiro relegado sairá do trio Crotone, Empoli e Genoa. Da Série B subirá mais um time, apurado no “play-off” que definirá o terceiro colocado da classificação final. Para já, das quatro vagas existentes, só duas estão ocupadas, por Frosinone e Perugia. O primeiro emblema enfrentará Citadella ou Carpi, enquanto o Perugia defrontará Benevento ou Spezia, quatro times que vão ainda disputar um “play-off” preliminar.

Boas Apostas!