O pontapé de saída na 14ª edição da Gold Cup está agendado para 7 de julho. Nos Estados Unidos, as 12 melhores seleções da América do Norte, Central e do Caribe competem entre si. O México, campeão em 2015, procura revalidar o título.

Grupo A

Foto: "CONCACAF"

Foto: “CONCACAF”

O grupo A tem todos os ingredientes para ser um dos mais competitivos dessa Gold Cup 2017. De entre as quatro seleções a concurso, a canadiana é a única que já venceu a prova, em 2000. Costa Rica e Honduras são as duas outras seleções mais cotadas, com um “vice” cada uma, enquanto a formação da Guiana Francesa surge como “outsider” da chave. Para as quartas, além das seleções que ficarem nos dois primeiros postos de cada grupo, seguem as duas das três nações que ficaram no terceiro posto e mais pontuarem. A probabilidade de três equipes avançarem a partir deste grupo A é grande.

A Guiana Francesa é a seleção mais vulnerável do grupo A e, discutivelmente, do torneio. A equipe garantiu presença na competição que vai decorrer nos Estados Unidos ao ficar em terceiro lugar na Copa do Caribe 2016, competição conquistada pela seleção de Curaçao. As chances de classificação são praticamente nulas e a seleção é maioritariamente composta por elementos que competem nos escalões mais baixos do futebol francês. Perder pontos com a Guiana Francesa é uma hipótese que não pode passar pela cabeça das outras três seleções do grupo.

Honduras e Costa Rica favoritas

No que respeita à discussão dos dois primeiros lugares da chave, as seleções de Honduras e Costa Rica aparentam ser as principais candidatas. Adversárias na Copa Centroamericana 2016, prova a partir da qual se apuraram, tiveram prestações bem distintas. Os hondurenhos venceram ao se superiorizarem à congénere do Panamá, ao passo que “Los Ticos” ficaram na quarta posição.

A forma da seleção das Honduras em 2017 não é animadora e, em oito jogos de preparação, só venceu a congénere da Nicarágua.

A Costa Rica é a seleção que se apresenta com nomes mais “conhecidos” em sua lista, reunindo vários atletas que disputam a Major League Soccer e, portanto, jogarão “em casa”. Ronal Matarrita, Rodney Wallace ou Francisco Calvo são alguns dos costa riquenhos que militam na famosa MLS, enquanto os “europeus” Joel Campbell e Bryan Ruiz também fazem parte da lista. Apesar da prestação menos boa na Copa Centroamericana, “Los Ticos” têm a classificação para a Copa do Mundo 2018 bem encaminhada, isso depois da bela prestação em 2014, no Brasil.

Canadá

Eliminado na 1ª fase de grupos das eliminatórias da zona CONCACAF que dão acesso à Copa do Mundo 2018, o Canadá pretende se redimir nessa Gold Cup 2017 e testar soluções para o futuro, tendo em vista as eliminatórias de classificação para a Copa do Mundo de 2022. Treinada por Octavio Zambrano Viera, a seleção canadiana parte atrás de Honduras e Costa Rica no que toca à briga pelo acesso, mas tem argumentos para o discutir com as duas adversárias. Vencer a Guiana Francesa na estreia é quase uma obrigatoriedade para um time que apresenta alguns nomes jovens bem interessantes em sua lista.

Boas Apostas!