A polêmica entre Gianluigi Donnarumma e o AC Milan está perto de conhecer um final feliz para ambas as partes. O jovem goleiro viu suas pretensões satisfeitas e a “Gazzetta dello Sport” escreve que a renovação com o time de San Siro está praticamente acertada.

Foto: "Getty Images"

Foto: “Getty Images”

Há cerca de duas semanas, a ligação entre “Gigio” Donnarumma e o AC Milan parecia estar perto do fim. Com contrato até junho de 2018, o jovem goleiro tinha recusado as primeiras propostas de renovação feitas pelo clube, alegadamente influenciado por Mino Raiola, empresário a quem Alex Ferguson se referiu como um “balde de m****” durante esta semana, culpando o italiano pela saída de Paul Pogba do Manchester United em 2012. As polêmicas foram se sucedendo e Mino Raiola chegou a acusar a diretoria do AC Milan de “bullying”, visto que alegadamente deixariam Donnarumma sem jogar durante um ano caso não renovasse o contrato. No Euro sub-21, prova que disputou na Polônia com a seleção italiana, o goleiro sentiu a ira dos “tiffosi” milaneses que atiraram notas falsas no seu sentido e exibiram uma tarja com “Dollarumma” inscrito.

No início desta semana, o jornal italiano “Gazzetta dello Sport” tem adiantado que as negociações entre o jogador e o clube chegaram a bom porto, sendo que a renovação está praticamente acertada. O acordo estabelecido visa uma renovação válida por cinco anos com direito a uma revisão salarial significativa: Seis milhões de euros “limpos” por temporada. Para além disso, há mais uma cláusula incluída no acordo: O AC Milan se comprometerá a contratar Antonio Donnarumma, irmão de Gianluigi que também é goleiro e atualmente defende as cores do time grego do Asteras Tripolis. O goleiro que realizou seu percurso de base no AC Milan nunca chegou a representar o time principal e o Genoa, clube pelo qual passou sem grande sucesso, foi o emblema mais reputado em que esteve enquanto profissional. A “Gazzetta dello Sport” escreve que a aquisição do goleiro de 26 anos foi um pressuposto aceite pela diretoria do clube de Milão, oferecendo um salário de um milhão de euros anual.

Multa flexível

O AC Milan já fechou seis reforços para encarar a próxima temporada: Musacchio, Kessié, Rodríguez, Çalhanoglu, André Silva e Borini. De resto, com 124 milhões de euros investidos, os milaneses são o clube europeu que mais gastou nesta janela de transferências europeia até à data. Quando a renovação estiver consumada, não há duvidas de que Donnarumma vai ser o dono da baliza.

O investimento que tem sido realizado pela diretoria do clube, agora propriedade de um grupo de empresários chineses, reflete a determinação em o recolocar o AC Milan nos postos que dão acesso à Liga dos Campeões. No contrato que Donnarumma se prepara para assinar, há uma cláusula dependente do desempenho esportivo do time na época 2017/18, precisamente consoante a classificação (ou não) para a Liga dos Campeões. Caso alcance o acesso à prova de clubes mais importante da Europa, o valor da multa rescisória de Donnarumma se situará nos 100 milhões de euros. Caso o AC Milan falhe o objetivo e esteja ausente da Liga dos Campeões por mais uma temporada, a multa se situará nos 50 milhões de euros.

Boas Apostas!