Na tarde da próxima terça-feira, 10, a seleção da França enfrentará a seleção da Bélgica no estádio de Saint-Petersburg, no primeiro confronto das semifinais da Copa do Mundo da Rússia. A partida colocará frente a frente as duas melhores seleções até agora no Mundial de 2018, tanto quando fala-se de números quanto de desempenhos dentro de campo. Líderes em seus respectivos grupos na primeira fase, cada uma das seleções conseguiu eliminar ao menos uma campeã mundial na sua campanha até agora. Do lado francês, a promissora seleção comandada por Didier Deschamps tentará chegar a terceira final de Copa do Mundo da história da França, que foi campeã pela primeira (e por enquanto única) vez em 1998 e terminou com o vice no Mundial de 2006, perdido para os italianos. Já a geração belga tenta fazer algo inédito na história da sua seleção, que teve como melhor campanha um quarto lugar no Mundial de 1986, realizado na México, quando a Bélgica foi derrotada por 2×0 nas semifinais para a Argentina e depois perdeu justamente para a França por 4×2 na disputa pelo terceiro lugar.

Campanha dos franceses

Franceses comemorando seu gol contra o Uruguai.

Franceses comemorando seu gol contra o Uruguai.

Para chegar nas semifinais da Copa do Muno da Rússia, a seleção da França passou sem nenhuma dificuldade pela primeira fase, terminando como líder do Grupo C, vencendo as seleções da Austrália (2×1) e Peru (1×0) e encerrando a fase de grupos com um empate em 0x0 (o primeiro da Copa de 2018) contra a Dinamarca, partida que recebeu muitas criticas e vaias dos torcedores pela falta de vontade das duas seleções de partirem para o ataque por já estarem classificadas. Nas oitavas de final veio então o primeiro jogo realmente difícil para os franceses, contra a Argentina de Lionel Messi.

Embora o placar tenha parecido apertado, 4×3, quem acompanhou o jogo viu uma partida totalmente dominada pela França, que chegou a ficar atrás do placar, mas soube como dar a volta por cima e deixou claro que venceria a partida desde o início do jogo. Contando com uma bela atuação de Mbappé, autor de dois gols e jogador que sofreu o pênalti que abriu o placar, a França passou sem muitas dificuldades pelos argentinos e mostrou seu verdadeiro futebol, de muita qualidade por sinal, que esteve escondido durante a primeira fase.

Na fase seguinte, foi a vez da França enfrentar outra seleção sul-americana, o Uruguai de Luis Suárez e Edison Cavani. Enfrentando uma seleção uruguaia muito abatida pela ausência de Cavani (que se lesionou no final da partida contra Portugal), os franceses dominaram novamente seus adversários, garantindo uma vitória por 0x2 contra o Uruguai, placar esse que contou com uma grande ajuda do goleiro Muslera, que levou um frango no chute de Griezmann no segundo gol e praticamente arruinou qualquer reação dos sul-americanos.

Campanha belga

Belgas comemorando a classificação para as semis.

Belgas comemorando a classificação para as semis.

Assim como seu rival, a seleção da Bélgica terminou a fase de grupos como líder absoluta, ficando a frente até mesmo da talentosa seleção da Inglaterra, que ficou em segunda no Grupo G. Na primeira fase, os belgas tiveram o melhor ataque, já que nas duas primeiras rodadas venceu o Panamá por 3×0 e a Tunísia por incríveis 5×2, e ainda encerrou a faz e de grupos com uma vitória por 0x1 contra a Inglaterra (com seu time reserva, sem Kevin De Bruyne e companhia). O desempenho da Bélgica no ataque lhe rendeu também a melhor campanha entre todas as seleções do grupo, ficando a frente das outras seleções com 100% de aproveitamento (Uruguai e Croácia) justamente pela quantidade de gols marcados.

Nas fases seguintes, os belgas venceram a seleção do Japão no sufoco, virando o placar para 3×2 depois de sair atrás no início do segundo tempo, graças ao gol no último lance da partida marcado por Chadli, que concluiu um contra-ataque perfeito iniciado ainda com o goleiro Courtois. Nas quartas de final veio então o jogo mais difícil para os belgas até agora na Copa do Mundo da Rússia. Enfrentando os grandes favoritos ao título, Brasil, a seleção da Bélgica fez um primeiro tempo muito forte, contou com um gol contra no início da partida e outro marcado num contra-ataque para vencer os brasileiros por 1×2 e classificar para as semifinais do Mundial de 2018.