Os principais campeonatos europeus estão prestes a começar. Antes disso, se disputam as Supercopas um pouco por todo o “velho continente”. Na Holanda, o Feyenoord se superiorizou ao PSV Eindhoven e conquistou o troféu nesse sábado (5).

Foto: "vi.nl"

Foto: “vi.nl”

O futebol holandês costuma ser profícuo em termos de gols, mas isso não se verificou na partida que inaugurou oficialmente a temporada 2018/19. Foi preciso recorrer à discussão através da marcação de grandes penalidades para se descobrir o vencedor do embate entre o campeão em título e o detentor da Copa, isso após um empate sem gols durante os 90 minutos do tempo regulamentar.

Vencedor da Eredivisie 2018/19, o PSV Eindhoven não conseguiu abrir a nova época da melhor forma e caiu ante o Feyenoord, emblema que conquistou a última edição da Copa da Holanda ao derrotar o AZ Alkmaar por três gols sem resposta.

Em uma final disputada em Eindhoven, na casa do PSV, os dois times não se prestaram a grandes riscos e o espetáculo acabou saindo prejudicado por isso mesmo. Sem um domínio claro de nenhuma das duas equipas e escassas ocasiões para chegarem ao gol, no final dos 90 minutos se registava um nulo no marcador. No caso da Supercopa da Holanda, não há lugar à realização de prorrogação em caso de empate. Assim sendo, o desafio seguiu para as grandes penalidades e seriam precisas 16 para encontrar o vencedor do troféu.

Na disputa através da marca de 11 metros, o jovem goleiro Bijlow foi decisivo a favor do time de Roterdão e Jordy Clasie, reforço para o ataque à nova época em um regresso a uma “casa” que bem conhece, se encarregou de colocar a bola no fundo das redes à guarda de Zoet.

Mark van Bommel não teve a melhor estreia

O duelo entre PSV Eindhoven e Feyenoord ditou um reencontro entre dois atuais treinadores que outrora partilharam o vestiário da seleção holandesa: Mark van Bommel e Giovanni van Bronckhorst.

Para Mark van Bommel, técnico de 41 anos que “pendurou as botas” com a camisa do PSV Eindhoven na temporada 2o12/13, essa é a primeira experiência na condição de treinador principal, isso depois de ter sido um dos adjuntos de Bert van Marwijk na seleção da Austrália.

Já Gio van Brockhorst, técnico que fez com que o Feyenoord voltasse a conquistar um título de campeão, vai para a oitava temporada no emblema de Roterdão, a quarta como técnico principal.

Boas apostas!