Contas praticamente encerradas na Eredivisie, principal escalão neerlandês. A duas jornadas do final, o Feyenoord é líder com quatro pontos de avanço e tem uma mão no troféu de campeão.

Foto: "Divulgação/Feyenoord"

Foto: “Divulgação/Feyenoord”

18 anos depois, a felicidade extrema volta a Roterdão. A mítica “banheira” da cidade portuária situada na Holanda já prepara a comemoração do título neerlandês, visto que só um autêntico desastre poderá afastar o Feyenoord do título. O fim-de-semana foi decisivo para as contas. Na jornada 32 da Eredivisie, o Feyenoord cumpriu seu dever na deslocação a Arnhem e venceu o Vitesse por duas bolas a zero, com dois gols de Nicolai Jorgensen, atacante danês que lidera a lista de artilheiros (21) e detém o maior número de assistências para gol (11) no campeonato, confirmando a tendência de que os artilheiros nórdicos se dão bem na realidade neerlandesa. No time comandado pelo ex-internacional holandês Giovanni van Bronckhorst, Eric Botteghin, zagueiro natural de São Paulo, foi titular. No time da casa, conhecido pela forte cooperação com os londrinos do Chelsea, o brasileiro Nathan (ex-Atlético Paranaense) entrou no início da segunda etapa. O Feyenoord sairia líder dessa rodada independentemente do desempenho de terceiros, mas a verdade é que o desfecho do PSV – Ajax foi um importante auxílio nas contas do título…

Passagem de testemunho

Campeão “ao sprint” em um dos finais mais loucos que a Eredivisie já conheceu, o PSV Eindhoven, ainda campeão em título, praticamente “entregou” o título ao Feyenoord, funcionando quase que como uma passagem de testemunho. Afastado da luta pela revalidação do título, o time de Eindhoven recebeu o Ajax com a missão de vencer o desafio para fazer com que o rival de Amesterdão perdesse terreno na luta pelo título. Um gol solitário de Jurgen Locadia, aos 25 do primeiro tempo, definiu a partida e provavelmente o destino do Ajax nessa edição do campeonato neerlandês. David Neres (ex-São Paulo) foi opção de Peter Bosz para a segunda etapa, tentando aumentar a pressão sobre o rival, mas o relógio corria contra o Ajax, em desvantagem e desgastado após o intenso duelo de quinta-feira frente ao Schalke 04, em Gelsenkirchen, válido pelas quartas da Liga Europa.

Fora de casa mas em Roterdão

Embora a rodada 33 implique que o Feyenoord atue fora de casa, o time poderá consumar a conquista do título em sua própria cidade. O Feyenoord viaja até à casa do Excelsior, time ao qual esteve associado durante muitos anos. O Woudestein, um dos estádios com menor capacidade da Eredivisie, poderá ser palco da conquista. Com margem de erro em função da vantagem de quatro pontos, caso não vença, a festa poderá ser adiada para a derradeira rodada, frente ao Heracles Almelo, em casa. Nas duas últimas rodadas, o Ajax recebe o Go Ahead Eagles – já relegado – e vai à casa do Willem II. A próxima rodada poderá ser bem triste na Arena de Amesterdão, com o visitante já conformado com a descida e o Ajax a poder ver o rival se sagrar campeão.

Boas Apostas!