A primeira temporada de Felipe Anderson com a camisa do West Ham tem corrido de feição. O atacante brasileiro de 25 anos é o grande destaque do time londrino e voltou a ser decisivo nessa quarta-feira (27), no encontro que encerrou a rodada do tradicional Boxing Day na Inglaterra.

Foto: "Getty Images"

Foto: “Getty Images”

Após cinco temporadas no Calcio a defender a camisa da Lazio, Felipe Anderson, produto da base do Santos, rumou ao futebol inglês e se converteu em nada mais nada menos que a maior contratação da história do West Ham – 42 milhões de euros (R$ 182,5 milhões). Anderson parece não ter acusado a pressão inerente ao seu estatuto: nesse momento, é a grande figura da temporada dos “Hammers” e um dos maiores destaques da Premier League 2018/19.

Indiscutível no esquema de Manuel Pellegrini, Felipe Anderson já leva oito gols marcados em 21 partidas – sete nos últimos nove duelos – com a camisa do West Ham, se afirmando como a grande mais valia de uma frente de ataque que também conta com os serviços de jogadores como “Chicharito” Hernández, Andriy Yarmolenko, Lucas Pérez ou Marko Arnautovic.

Nessa quinta-feira (27), marcada pela realização do único encontro que faltava, Felipe Anderson voltou a assumir um papel decisivo. Na ida do West Ham até o Saint Mary’s para enfrentar o Southampton, o atacante “Canarinho” apontou os dois gols que deram a vitória aos “Hammers” de virada e esteve até bem perto de completar o “hat-trick”. Anderson apontou um “bis” pela segunda vez desde que chegou a Inglaterra, uma vez que já tinha feito dois gols na receção ao Burnley, na rodada 11.

Elogios de Pellegrini e Tite “à espreita”

No final do desafio no Saint Mary’s, o técnico chileno Manuel Pellegrini elogiou a performance do jogador e afiançou que “o melhor de Anderson ainda está para vir”. Outro treinador que estará bem atento às prestações do campeão da Liberta com o “Peixe” em 2012 é o seleccionador brasileiro Tite. Medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, Felipe Anderson conta apenas com uma internacionalização pela seleção principal e em um amistoso, no ano de 2015, diante do México. Na altura, o seleccionador do “Escrete” ainda era Dunga. Em entrevista ao jornal “Estadão” no início do mês de novembro, Anderson confessou que representar a “Carinha” é um “sonho e objetivo de carreira”.

O West Ham de Anderson volta à ação no próximo domingo, diante do Burnley, no Turf Moor.

Boas apostas!