A seleção brasileira pentacampeã mundial não vinha vivendo bons momentos há algum certo tempo, o último título mundial foi na copa de 2002 na Coreia do Sul e Japão, onde o Brasil foi campeão sobre a Alemanha na final por 2×0.

Felipe Escolari e Dunga, ex-técnicos da seleção brasileira.

Felipe Escolari e Dunga, ex-técnicos da seleção brasileira.

Em 2006 a Itália seria campeã, em 2010 a Espanha e em 2014, com o Brasil sendo anfitrião da Copa do Mundo, o país passaria pela maior decepção de todos os tempos, talvez até pior do que a perda do título para o Uruguai em 1950, quando perdeu para o Uruguai na final, em pleno Maracanã por 1×2. O Brasil na Copa de 2014, levaria a maior goleada em uma Copa do Mundo, foram 1×7 para a Alemanha na semifinal da competição.

Na Copa de 2014 o Brasil estava sob comando do técnico Felipe Escolari, que deixou a seleção depois do vexame. O Brasil passou a ser treinado pelo técnico Dunga, o qual não conseguiu resolver os problemas e voltou a decepcionar a torcida brasileira, sendo demitido após ser desclassificado na primeira fase da Copa América Centenário  em 2016, disputada nos Estados Unidos. Juntamente com a precoce desclassificação da Copa América, o técnico Dunga deixou o Brasil na incomoda sexta colocação das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 da Rússia.

Tite toma a primeira decisão vitoriosa

Tite e Rogério Micale na concentração da seleção olímpica.

Tite e Rogério Micale na concentração da seleção olímpica.

Uma alegria recente, foi a conquista do futebol olímpico do Brasil, nas olimpíadas do Rio 2016, um título inédito para o futebol brasileiro, esta conquista veio em boa hora, fazendo ressurgir a esperança de que nada está perdido, mostrando que a seleção principal poderia aproveitar muitos novos talentos revelados nas olimpíadas. Com a saída do técnico Dunga do comando da seleção brasileira, o escolhido pela CBF(Confederação Brasileira de Futebol) foi o ex-técnico do Corinthians, campeão brasileiro de 2015 e que tinha grande apoio popular para a sucessão de Dunga na seleção brasileira.

Tite ainda teve a opção de poder assumir a seleção olímpica para poder tentar ser campeão em casa e receber os louros, porém abriu mão do cargo justificando que o grupo já vinha sendo treinado por Rogério Micale. Mesmo abrindo mão de comandar a seleção olímpica, o técnico Tite se manteve presente em alguns momentos imporantes, acompanhando treinos e dando conselhos ao técnico Rogério Micale, porém em dias de jogos, o técnico Micale teve total controle do time. Essa atitude de Tite, trouxe confiança e tranquilidade para o técnico Micale e deixou claro para os jogadores, que quem se desse bem nas olimpíadas, poderia ter uma chance na seleção principal.

Esta atitude de Tite foi pontual para a conquista da medalha olímpica e ao mesmo tempo que mostrou humildade, mostrou sabedoria na administração da situação. Atitude que o técnico Dunga não tinha tomado, o qual se não tivesse sido demitido do cargo de treinador da seleção brasileira, teria comandado a seleção olímpica durante as olimpíadas do Rio 2016, o que tiraria o grupo das mãos de Micale que já vinha comandnado o grupo há 2 anos e poderia ter acabado com mais um frustração do futebol brasileiro. Muitos consideram esta tomada de atitude de Tite, a sua primeira grande decisão vitoriosa à frente da seleção brasileira.

Estreia do técnico Tite

Neymar comemora seu gol, o primeiro sob comando de Tite.

Neymar comemora seu gol, o primeiro sob comando de Tite.

Tite foi chamado pelo presidente da CBF Marco Polo Del Nero para ser técnico da seleção pentacampeã. A escolha não foi por acaso, o técnico fez um excelente trabalho pelo Corinthians, de 2010 a 2013 e depois retornou em 2015, onde estava até ser chamado pela seleção brasileira. Pelo Corinthians o técnico conquistou diversos títulos, o Campeonato Brasileiros de 2011, a Libertadores e o mundial de 2012. Em 2013 conquistaria o Campeonato Paulista, porém sairia por um tempo de suas atividades de técnico para se atualizar fazendo cursos. O técnico voltaria em 2015 para conquistar mais um título do Campeonato Brasileiro para o Corinthians.

Tite seria convocado para dirigir a seleção brasileira com um grande desafio, recuperar a confiança de 180 milhões de torcedores brasileiros e conseguir recuperar a classificação da seleção brasileira nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, onde a seleção estava na sexta colocação, posição essa, que se estivesse encerrada antes da estreia de Tite, a seleção estaria fora de uma Copa do Mundo pela primeira vez na história.

Pois bem, após a boa convocação de Tite, chamando sete dos campeões olímpicos como o atacante Gabriel Jesus para a seleção brasileira principal, jogador que seria decisivo no seu primeiro jogo a frente do Brasil. A seleção fez o jogo contra o Equador, na casa do Equador, no dia 01 de Setembro, em Quito no Equador. Há 33 anos o Brasil não vencia o Equador em Quito, mesmo assim Tite não poderia ter estreado melhor, quebrando um tabu de 33 anos e vencendo bem, por 0x3. Gabriel Jesus foi o grande destaque, sofreu um pênalti que Neymar cobrou e fez, abrindo o placar aos 26’ do segundo tempo. Gabriel Jesus marcaria mais dois, aos 41’ e 46’.

Após a vitória contra o Equador, o técnico Tite citou Rogério Micale que foi o técnico campeão olímpico: “Obrigado Micale, obrigado Seleção olímpica, que nos prestou uma competitividade grande. Uma coisa está linkada com a outra. Brinco que fui auxiliar do Micale agora o Micale colaborou com nosso trabalho”, sorriu. Com esta vitória, o Brasil ganha tranquilidade para enfrentar a Colômbia, na terça-feira (06) contra a Colômbia, na Arena da Amazônia as 21:45h (horário de Brasília). Se o Brasil vencer, tem grandes chances de ficar entre os quatro primeiros colocados, o que traria uma boa tranquilidade tanto para o técnico Tite, quanto para todo o elenco, para seguirem o trabalho em busca da classificação para a próxima Copa do Mundo.

Boas Apostas!