Se tem essa seleção merecedora de destaque nessa etapa inicial da UEFA Nations League – novo modelo competitivo destinado às seleções europeias -, essa é a Espanha. O time agora comandado por Luis Enrique venceu a Inglaterra em Wembley por dois a um e goleou a vice-campeã do mundo Croácia por seis golos sem resposta.

Foto: "REUTERS/Heino Kalis"

Foto: “REUTERS/Heino Kalis”

Os responsáveis da RFEF (Real Federación Española de Fútbol) apostaram em Luis Enrique para devolver “La Roja” aos seus tempos de glória, isso depois de três desilusões consecutivas em fases finais de grandes competições (Copa do Mundo 2014, Euro 2016 e Copa do Mundo 2018). Aquando da sua apresentação oficial, Luis Enrique rejeitou que a equipe espanhola necessite de renunciar por completo ao seu estilo tradicional, baseado na gestão da posse, advertindo para a necessidade de aumentar o grau de imprevisibilidade do time.

A participação espanhola na Copa do Mundo 2018 ficou marcada pela inesperada alteração no comando técnico a escassos dias do início do torneio, com Fernando Hierro a assumir o lugar de Julen Lopetegui, técnico cuja contratação foi anunciada pelo Real Madrid antes do início da prova, situação que não caiu bem junto dos responsáveis do futebol espanhol.

No primeiro ensaio após a eliminação nas oitavas da Copa às mãos da Rússia, a seleção da Espanha foi a Wembley se superiorizar à Ingaterra por dois a um com gols de Saúl Ñiguez e Rodrigo Moreno, isso depois de até ter entrado a perder no desafio. No cômputo geral, venceu a melhor equipe no relvado londrino, ou pelo menos a que se apresentou mais consistente e incisiva ao longo dos 90 minutos.

Marcos Alonso, Thiago Alcântara, Iago Aspas e Rodrigo Moreno foram as principais novidades no onze, isso num time que já não conta com David Silva – renunciou à seleção – e não pôde usufruir dos préstimos de Diego Costa devido a lesão.

Galvanizada pelo triunfo em solo inglês, a equipe espanhola se preparava para enfrentar a Croácia no primeiro jogo sob as ordens de Luis Enrique em solo nacional. Em uma noite de desinspiração croata – muito permissiva defensivamente – que contrastou com um encontro em que os dianteiros espanhóis estiveram com a “mira afinada” – prova disso são os dois gols se Asensio de meia distância -, a Espanha se impôs por seis a zero à vice-campeã do mundo. Saúl Ñiguez, Rodrigo Moreno (também tinham marcado em Inglaterra), Sérgio Ramos e Isco marcaram os restantes quatro gols de “La Fúria”.

A seleção espanhola inicia uma nova era de forma altamente prometedora e a primeira grande conquista da era Luis Enrique poderá corresponder à conquista do apuramento para o Euro 2020 já através dessa UEFA Nations League. Para isso, terá que vencer o grupo 4 que partilha com Inglaterra e Croácia e posteriormente ser mais forte tanto nas semis quanto na decisão.

Boas apostas!