À boleia de Christian Eriksen. A seleção da Dinamarca confirmou a última vaga europeia na Copa do Mundo 2018 em um verdadeiro “assalto” ao estádio Aviva, em Dublin, capital da República da Irlanda. A goleada por cinco bolas a uma contou com um “hat-trick” apontado por aquele que é o melhor jogador danês da atualidade.

Foto: " Paul Faith"

Foto: ” Paul Faith”

O empate sem gols registado na partida de ida, em Copenhaga, adiava a decisão da eliminatória para o estádio Aviva, em Dublin. Em um desafio que se revelaria de “parada e resposta”, o primeiro gol surgiu bem cedo, logo aos seis minutos do primeiro tempo, altura em que Shane Duffy aproveitou uma saída mal calculada de Kasper Schmeichel para cabecear para o fundo da rede do time nórdico. No entanto, os animados torcedores irlandeses estavam longe de imaginar o que sucederia a um início de desafio tão prometedor. Em desvantagem no jogo e na eliminatória, a Dinamarca correu atrás do prejuízo e rapidamente começou a encetar ameaças à baliza de Darren Randolph, obrigado a protagonizar pelo menos duas boas intervenções a remates de Andreas Christensen e Pione Sisto. O gol da igualdade acabou por resultar de uma infelicidade de Cyrus Christie, jogador que não conseguiu impedir que, em cima da linha de gol, a bola entrasse na sua baliza. O tento do empate deu o mote para o time danês virar o “placard” e antes do intervalo, ao minuto 32, Christian Eriksen concluiu uma transição com um remate brilhante que não deu hipóteses a Darren Randolph e permitiu à Dinamarca passar para a frente do marcador pela primeira vez. A partir daí, os convocados do técnico norueguês Age Hareide assumiam ótima posição na eliminatória, uma vez que um empate com gols também seria suficiente para ultrapassar esse “play-off”.

Porém, o primeiro gol era só o primeiro grande momento de um autêntico show de Christian Eriksen, meia do Tottenham que ainda faria mais dois gols. Aos 18 do segundo tempo, à entrada da área contrária, Christian Eriksen atirou colocado e aumentou a vantagem, isso antes de, volvidos dez minutos, voltar a bater o guardião contrário com um remate potente, mesmo em frente aos torcedores daneses que se deslocaram até Dublin.

A seis minutos do fim, Age Hareide promoveu a última alteração e lançou Nicklas Bendtner no jogo, atacante ex-Arsenal que atualmente representa o Rosenborg e ainda foi a tempo de marcar o quinto gol do time danês na conversão de uma grande penalidade.

A participação na Copa do Mundo 2018 assinala o retorno da Dinamarca ao maior palco do futebol de seleções, isso depois de ter falhado o acesso à competição em 2014. A seleção que esteve em uma Copa do Mundo pela primeira vez no ano de 1986 apresenta como melhor registo duas chegadas às quartas da prova, feito alcançado em 1998 e 2002. O apuramento para a Copa da Rússia corresponde ao primeiro grande sucesso de Age Hareide à frente desta seleção, técnico que sucedeu ao histórico seleccionador Morten Olsen que esteve 15 anos no comando da seleção do país.

Boas Apostas!