Neste início da semana, o atacante palmeirense Alecsandro recebeu uma má notícia, o atleta está suspenso por dois anos da sua carreira de futebol. Tudo começou depois do clássico entre Palmeiras e Corinthians realizado no dia 12 de junho, válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, quando depois da vitória palmeirense por 1×0, foi realizado um exame antidoping com Alecsandro (que nem se quer entrou na partida), que acabou dando positivo para a substância O-Dephenylandarine, uma anabolizante, metabólito do Andarine que é proibido pela Agência Mundial Antodoping (WADA). Depois de o primeiro teste dar positivo, foi realizado um teste de contraprova em Los Angeles que também deu positivo, o jogador foi afastado por 30 dias.

Alecsandro está suspenso por um ano e onze meses.

Alecsandro está suspenso por um ano e onze meses.

E na última segunda-feira (01) foi realizado o julgamento de Alecsandro pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) da Federação Paulista de Futebol (FPF), que acabou condenando o atacante com dois anos de suspensão. Vale lembrar que como ele já ficou 30 dias fora dos gramados, agora terá de cumprir um ano e onze meses.

A defesa do jogador, contratada pelo próprio, argumentou que a substância O-Dephenylandarine foi acusada no teste antidoping por causa de um tratamento de implante capilar realizado por Alecsandro no fim de 2015. Os próprios médicos do Palmeiras admitiram que não estudaram sobre isso, mas que talvez seja possível que uma substância encontrada no remédio do tratamento capilar, possa ser parecida com a proibida, sendo assim identificada no exame e testando positivo.

Hora do julgamento

Alecsandro chorando depois do julgamento.

Alecsandro chorando depois do julgamento.

Logo no começo do julgamento, o primeiro a ser ouvido foi o médico do Palmeiras, Rubens Sampaio, que afirmou que o atacante de 35 anos havia lhe informado quanto ao tratamento capilar que Alecsandro estaria fazendo e que verificou todos os medicamentos que seriam usados pelo jogador no pós-operatório, afirmando que nenhum seria proibido. Depois foram ouvidos mais um médico palmeirense e um bioquímico, ambos defendendo o jogador. Na sequência, o próprio Alecsandro foi ouvido, citando seu ótimo histórico e se emocionou ao lembrar que seu filho de 11 anos o questionou sobre o caso.

Depois de todos serem ouvidos, houve uma pausa de cerca de 10 minutos pedida pelo TJD, que aproveitou para discutir o caso privadamente, antes de dar uma sentença ao jogador. O último a falar foi o advogado especializado em Direito Desportivo, Bichara Abidão Neto, contratado pelo atacante, que reafirmou o histórico do jogador e disse que o correto seria uma punição de no máximo 6 meses. No fim, dois auditores votaram a favor de uma pena máxima de quatro anos, enquanto outros dois e o presidente da 2ª Comissão Disciplinar levaram em conta a defesa do jogador e acabaram optando por uma pena de dois anos, a qual foi acatada. Depois do julgamento e de ter recebido a sentença, Alecsandro saiu do local chorando e sem falar com a imprensa.

Vida de artilheiro

O atacante jogou por vários clubes brasileiros, entre eles o Flamengo.

O atacante jogou por vários clubes brasileiros, entre eles o Flamengo.

Começando sua carreira no Vitória em 2001, onde inicialmente foi muito criticado e emprestado para Sport e Ponte Preta, Alecsandro teve passagens importantes pelo Vitória, onde terminou a Série B do Campeonato Brasileiro de 2005 como vice-artilheiro da competição com 14 gols marcados e pelo Cruzeiro, onde ajudou a equipe a ficar na terceira colocação do Brasileirão de 2007 e uma vaga na Libertadores do ano seguinte. Depois de uma pequena passagem pelo Al-Wahda dos Emirados Árabes, foi contratado pelo Internacional, onde novamente foi bem, marcando 54 gols e conquistou o Campeonato Gaúcho, a Copa Suruga e a Copa Libertadores.

Depois, o atacante ainda passou por Vasco da Gama, onde marcou 38 gols entre 2011 e 2012 e conquistou a Copa do Brasil de 2011. No ano seguinte, teve uma pequena passagem pelo Atlético Mineiro, onde marcou 11 gols e conquistou o Campeonato Mineiro e a Libertadores de 2013. Entre 2014 e 2015, Alecsandro ainda esteve no Flamengo, onde mais uma vez marcou 32 gols e um título do Campeonato Carioca de 2014. Durante sua carreira, Alecsandro foi o artilheiro de muitas competições, como a Copa do Brasil de 2011 (5 gols), o Campeonato Carioca de 2012 (12 gols) e o artilheiro do Vasco em 2012 (25 gols).

Boas Apostas!