Um diferendo entre a Federação dinamarquesa e os jogadores da seleção principal relativa aos pagamentos dos direitos de imagem fez com que o time do norte da Europa se apresentasse sem nenhuma das suas figuras habituais no primeiro encontro após a Copa do Mundo 2018, frente à Eslováquia. O diferendo foi resolvido no período de tempo entre os dois desafios desse duplo compromisso e a Dinamarca entrou a vencer na UEFA Nations League, frente ao País de Gales (2-0).

Foto: "AFP/Getty Images"

Foto: “AFP/Getty Images”

Do goleiro Christoffer Haagh ao dianteiro Kasper Kempel, nenhum dos nomes que constaram no onze inicial diante da Eslováquia, composto por jogadores das divisões inferiores e da seleção de futsal, era conhecido do grande público. O encontro terminou com uma derrota por três a zero e nem era preciso conhecer o saldo final de um desaire altamente provável para que os alarmes soassem no quartel general da Federação dinamarquesa, ou não estivesse a poucos dias da estreia na UEFA Nations League, novo modelo competitivo introduzido pelo organismo que tutela o futebol europeu e que permitirá alcançar quatro vagas na fase final do Euro 2020.

Na última sexta-feira, dois dias após o duelo na Eslováquia, a Federação deu conta do estabelecimento de um acordo temporário com os jogadores para que os principais rostos retornassem no imediato, tendo em vista o confronto com o País de Gales. O seleccionador norueguês Age Hareide também voltou a gerir os destinos do time depois de John Jensen ter viajado com a equipe para Trnava e, com os seus principais intervenientes em Aarhus, a Dinamaca venceu seu primeiro jogo na UEFA Nations League.

Eliminada nas quartas da Copa do Mund0 2018 nas grandes penalidades às mãos da Croácia, seleção que se viria a sagrar vice-campeã do mundo, a Dinamarca se superiorizou com dois gols de Christian Eriksen, figura do Tottenham que marcou aos 32 e aos 18 do segundo tempo na conversão de uma grande penalidade. Os galeses, com Gareth Bale e Aaron Rmasey nas suas fileiras, não conseguiram pontuar três dias dpeois de terem goleado a República da Irlanda por quatro a um. Essas três seleções integram o grupo 4 da Liga 2 da UEFA Nations League, atualmente liderado pelo time nórdico por conta da vantagem tanto no confronto direto quanto no “goal average”.

O caso bizarro de Pione Sisto

Os jogadores convocados por Age Hareide para esse duplo compromisso se recusaram a viajar para disputar o amistoso na Eslováquia e viajaram para Copenhaga ao invés de seguirem para Viena, ponto previamente definido para a concentração, mas por uma (grande) desatenção, houve um jogador a quebrar o bloqueio… inconscientemente. Pione Sisto, atacante do Celta de Vigo, chegou à capital austríaca e ficou surpreendido por não encontrar nenhum dos seus colegas no aeroporto. O jovem de 23 anos que viria a ser titular no posterior encontro frente ao País de Gales se encontrava totalmente “a leste” da situação, viria posteriormente a revelar em declarações à TV3 Sport: “Não sabia de nada. Recebi várias mensagens no meu celular e provavelmente alguma era do Sindicato. Tenho de estar mais atento”, revelou.

Boas Apostas!