O encontro entre o modesto Lleida Esportiu e o Atlético de Madrid, válido pela ida das oitavas da Copa do Rei, teve um aliciante: o retorno de Diego Costa à ação, atacante que esteve arredado dos gramados durante a primeira parte da temporada após se desvincular dos ingleses do Chelsea. O atacante hispano-brasileiro foi aposta de Diego Simeone e fez um dos gols na goleada “Colchonera” por quatro a zero.

Foto: "Divulgação/Atlético de Madrid"

Foto: “Divulgação/Atlético de Madrid”

Após protagonizar uma das grandes surpresas da ronda anterior ao eliminar a Real Sociedad, ao Lleida Esportiu, emblema do terceiro escalão do futebol espanhol, saiu em “sorte” o Atlético de Madrid. Nessa partida de ida entre emblemas de realidades completamente distintas, os homens de Madrid não tiveram dificuldades em construir uma goleada por quatro a zero, com dois gols marcados ainda no primeiro tempo e outros tantos já na etapa complementar. O retorno de Diego Costa à ação, ainda para mais com um gol, foi o grande destaque do desafio.

Diego Simeone optou por rodar algumas unidades nesse compromisso da Copa del Rey, deixando, por exemplo, Antoine Griezmann no banco de reservas. A goleada do Atléti começou a ser construída logo aos 33 minutos, altura em que o zagueiro Diego Godín inaugurou o placard na sequência de um pontapé livre. A vantagem viria a se dilatada volvidos quatro minutos, por intermédio de Fernando Torres, atacante muito elogiado por Diego Simeone na última semana que estabeleceu o resultado que se registaria no final do primeiro tempo.

Já na segunda etapa, o momento pelo qual os torcedores do Atlético aguardava, desde setembro: o retorno de Diego Costa à ação, atacante que deixou o Chelsea de forma polémica e permaneceu todo esse tempo treinando com o elenco do Atlético, ainda que impedido de jogar devido à proibição do clube em inscrever jogador. Três dias após a apresentação aos torcedores no novo Wanda Metropoliano, Diego Costa voltou a calçar as botas para ir a jogo e dificilmente poderia ter conseguido melhor na estreia: entrou aos 64 e fez o 0-3 para o seu time aos 69. Antes de levar Diego Costa a jogo, Simeone já tinha promovido a estreia de Vitolo com a camisa do Atlético, jogador que na janela de transferências de verão se transferiu do Sevilha para o Las Palmas com o “patrocínio” do Atlético de Madrid, uma vez que os “Colchoneros” não puderam formalizar a inscrição do jogador nessa altura. A goleada ficou fechada já para lá dos 90, quando o atacante gaulês Antoine Griezmann aumentou a contagem para quatro bolas a zero. Atendendo à vantagem conquistada pelo Atlético e à diferença qualitativa entre os dois times, o cumprimento da partida de volta, no Wanda Metropolitano, não deverá ser mais que uma mera formalidade.

O Atlético volta a ir a jogo ao final da manhã desse sábado (6), em um desafio que poderá assinalar a estreia de Diego Costa no novo palco da formação que veste de vermelho e branco.

Boas Apostas!