O Manchester City bateu o Chelsea na primeira grande decisão da temporada, a final da EFL Cup 2018/19 (Copa da Liga). Os “Sky Blues” voltaram a se superiorizar aos londrinos, tal e qual como tinha acontecido em agosto, na Supercopa. Desta feita, a vitória foi mais difícil e os “Citizens” só ergueram o troféu na decisão através da marcação de penaltis. A contenda ficou marcada por uma situação polêmica entre Maurizio Sarri e Kepa Arrizabalaga.

Foto: "EPA-EFE"

Foto: “EPA-EFE”

Na briga pela conquista da tríplice coroa, o campeão em título Manchester City ergueu a Copa da Liga nesse domingo (24), após vitória diante do Chelsea na decisão da competição. Pep Guardiola apostou no onze mais forte à disposição – os brasileiros Ederson e Fernandinho foram titulares – e o time sob sua tutela dominou as ações durante praticamente toda a partida, sobretudo no primeiro tempo. Mais bola, mais iniciativa e maior capacidade de chegar no último terço do terreno, perante um time do Chelsea mais compacto defensivamente que na visita efetuada ao Etihad nesse mesmo mês de fevereiro que culminou com uma goleada dos donos da casa por seis bolas a zero.

A tendência se manteve mo segundo tempo, mas o Chelsea conseguiu equilibrar as ações bem perto do fim e criou alguns calafrios ao Manchester City em transição. No final dos 90 minutos, o marcador do estádio de Wembley assinalava uma igualdade sem gols. Na prorrogação, Pep Guardiola lançou Danilo e retirou Fernandinho do jogo, enquanto Sarri lançou o reforço Gonzalo Higuaín para o lugar de Willian. Nos 30 minutos adicionais, o Manchester City tornou a ser mais dominador, ameaçando por duas vezes a baliza defendia por Kepa, jovem espanhol contratado ao Athletic a troco de uma quantia milionária que viria a ser protagonista… pelos piores motivos.

Kepa rejeitou saída

Já nos acréscimos da prorrogação, Willy Caballero se aproximava da zona de substituição acompanhado por Maurizio Sarri. Quando o juiz de linha já se preparava para erguer a placa que indicava a alteração, Kepa gesticulou ostensivamente na direção do banco, rejeitando a possibilidade de direção e indicando a Maurizio Sarri que ficaria na partida para a decisão através da marcação de grandes penalidades. A situação se prolongou durante alguns momentos e deixou toda a plateia perplexa. Após resposta ao goleiro, Maurizio Sarri se afastou da área técnico inclusive e se aproximou do acesso aos vestiários, recuando no entanto após ver gorada a chance de trocar de goleiro.

Na decisão através da marcação de pênaltis, o City levou a melhor por quatro a três. Kepa ainda defendeu uma cobrança de Sané, mas Jorginho e David Luiz falharam para os “Blues”, deixando o troféu à mercê do City.

Goleiro alega “mal entendido”

Na sua conta oficial no “Twitter”, Kepa Arrizabalaga rejeita que tenha faltado ao respeito a Sarri, alegando que tudo se tratou de um “mal entendido” uma vez que o técnico italiano estava em crer que o espanhol não reunia condições físicas para continuar em jogo, situação que, afinal, não se verificava. “Em nenhum momento foi minha intenção desobedecer ao técnico ou a qualquer decisão. Foi um mal entendido em altas emoções. O treinador achou que eu não estava em posição de continuar e a minha intenção era expressar que estava em boas condições para prosseguir ajudando o time, entretanto a equipe médica que me tratava chegou no banco e deu a mensagem. Lamento a imagem que foi projetada, não sendo de modo algum minha intenção dar essa imagem, apresentando desculpas”, referiu.

O Chelsea volta ao campo na quarta-feira para medir forças com o Tottenham no “derby” de Londres, restando saber se Kepa permanecerá ou não entre os postes dos “Blues”.

Boas apostas!